Topo

Número de migrantes no mundo cresce 23% em uma década

18/09/2019 13h53

ROMA, 18 SET (ANSA) - O número de migrantes no mundo atingiu a marca de 272 milhões em 2019, um aumento de 23% na comparação com 2010, de acordo com estimativas divulgadas nesta quarta-feira (18) pelo Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais das Nações Unidas (ONU).   

Segundo o órgão, o contingente equivale a 3,5% da população do planeta. O maior número de migrantes em número absoluto está na Europa, com 82 milhões, o que também se explica pela liberdade de circulação entre a maior parte de seus países.   

Os Estados Unidos lideram o ranking entre as nações, com 51 milhões de migrantes, à frente de Alemanha (13 milhões), Arábia Saudita (13 milhões), Rússia (12 milhões), Reino Unido (10 milhões), Emirados Árabes Unidos (9 milhões), França (8 milhões), Canadá (8 milhões), Austrália (8 milhões) e Itália (6 milhões). O Brasil é o 61º colocado, com 807 mil.   

Esses 10 países concentram pouco mais da metade dos migrantes do mundo. Já em relação às nações de origem, um terço é proveniente de apenas 10 Estados, liderados pela Índia (18 milhões). Em seguida aparecem México (12 milhões), China (11 milhões), Rússia (10 milhões) e Síria (8 milhões). O Brasil está em 38º lugar, com 1,74 milhão de emigrados.   

As mulheres representam pouco menos da metade do total de migrantes, 48%, contra os 49% registrados no ano 2000. Sua participação é maior na América do Norte (52%) e na Europa (51%), e menor na África Subsaariana (47%) e no norte da África e na Ásia Ocidental (36%).   

Um de cada sete migrantes internacionais tem menos de 20 anos de idade, o que equivale a 38 milhões de pessoas. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Mais Notícias