Colombiano surpreende ao confessar ser serial killer que matou ao menos 20 pessoas

Natalio Cosoy

Da BBC Mundo em Bogotá

  • Fiscalia de Colombia

    Jaime Ivan Martinez, 44, confessou à polícia da Colômbia ter matado pelo menos 20 pessoas

    Jaime Ivan Martinez, 44, confessou à polícia da Colômbia ter matado pelo menos 20 pessoas

Em menos de um ano, a Colômbia se vê novamente escandalizada por um assassino em série. Preso na semana passada pelas autoridades do Estado de Antioquia como parte das investigações sobre o desparecimento de uma mulher, Jaime Ivan Martinez, de 44 anos, confessou à polícia ter matado pelo menos 20 pessoas.

Os crimes teriam ocorrido na cidade de Guarne, que fica a 30 km de uma das maiores cidades colombianas, Medellín, no leste do país. Entre as pessoas que Martinez teria confessado matar estão sua ex-parceira, Natália Garcia Gil e seus filhos, Nelson e Mariana, de oito e cinco anos.

As autoridades até agora só conseguiram comprovar a morte de Maria Gladys Arango Cuervo, de quem Martinez era enfermeiro, mas encontrou três corpos em uma vala comum nas proximidades da casa do suspeito. Ainda são necessários exames de DNA para identificar as vítimas.

Cuervo, de 51 anos tinha desaparecido em janeiro. Um corpo foi encontrado no domingo em um terreno vizinho à casa de Martinez, apenas tries dias depois da polícia ter prendido o enfermeiro e descoberto em sua posse objetos pessoais que a mulher usava quando desapareceu.

"Os agentes encontraram marcas de sangue nas paredes e, senão a totalidade, a maioria das roupas e das joias que Arango usava", disse Luis González, um porta-voz da Promotoria Estadual.

Segundo a promotoria, Martinez confessou ter enforcado a ex-parceira e as crianças com uma corda e enterrado os corpos na mesma cova.

A mulher e as crianças teriam desaparecido em 3 de novembro do ano passado, de acordo com informações dos vizinhos. As outras supostas vítimas seriam não apenas de Guarne, mas outras áreas de Antioquia e mesmo de outra região, o Vale de Cauca.

"No interior de sua casa, ele colecionava objetos e deixava rastros. Encontramos mais de 12 celulares e mais de 16 cartões SIM, além de objetos que parecem ser de mulheres. Isso significa que o que ele (Martinez) está dizendo pode ter alguma veracidade", completou González.

Martinez, inclusive, chegou a utilizar o cartão SIM do telefone de María Gladys.

A promotoria acredita que a maioria das vítimas do possível assassino serial são mulheres. As investigações apontam que Martinez usava os celulares das vítimas para se comunicar com as famílias e dar a impressão de que elas ainda estavam vivas.

Mas, por hora, a polícia se concentra na busca por corpos na área em que Martinez vivia, ao mesmo tempo em que tenta checar a veracidade da confissão do suspeito com os registros de desparecidos em Guarne, Medellín e Vale del Cauca.

Martinez não tinha antecedentes criminais.

Se as mortes forem confirmadas, o caso será ainda mais macabro que o do chamado "Monstro de Monserrate" , Fred Valencia, preso no final do ano passado pelo assassinato de uma mulher e suspeito de ter matado outras 10 em Monserrate, localidade próxima à Bogotá.

Valencia atualmente cumpre pena de nove anos de prisão - mas a condenação se refere apenas à morte de uma vítima, os processos ligados às outras vítimas ainda estão pendentes. 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos