EI liberta 42 reféns assírios

Segundo ONG, extremistas receberam um resgate de 25 milhões de dólares para libertar reféns que pertencem a um grupo étnico cristão. Vítimas foram raptadas há um ano na província síria de Al Hasaka.

O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) libertou 42 reféns assírios nesta segunda-feira (22/02) que pertencem a um grupo étnico cristão. Eles ficaram sob custódia dos extremistas por um ano na província síria de Al Hasaka.

Esse é o último grupo de um total de 224 assírios que foram sequestrados em fevereiro de 2015 na localidade de Tel Tamr e vilarejos próximos.

Segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos, eentre os reféns há 17 mulheres. A Igreja assíria teria pago 25 milhões de dólares pelo resgate.

Já a Organização Democrática Assíria afirmou que os EI exigiu 18 milhões de dólares, mas a quantia foi reduzida mediante negociações.

Os sequestros que terminam em extorsão são uma das principais fontes de financiamento do EI.

A maior parte dos habitantes da região de Al Hasaka é de assírios, uma minoria que também vive em partes do Iraque e da Turquia. Antes do início do conflito na Síria, o país tinha 200 mil assírios vivendo no território. Atualmente, são apenas cerca de 20 mil.

KG/efe/ap

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos