Presidente do Peru diz a Trump que prefere pontes a muros

Em visita à Casa Branca, Kuczynski se reúne com presidente americano para debater temas como comércio e imigração e menciona muro na fronteira com o México. Líder é o primeiro da América Latina a se reunir com Trump.O presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, que esteve na Casa Branca nesta sexta-feira (24/02), declarou ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que prefere "pontes a muros". Kuczynski, o primeiro mandatário latino-americano a visitar o governante republicano, se referia aos planos de Trump de construir um muro ao longo da fronteira americana com o México. Em conversa com a imprensa, o líder peruano evitou se aprofundar no tema, declarando apenas estar "interessado na livre circulação de pessoas". "Enfatizei isso a Trump. Preferimos pontes a muros", disse o político, que, no passado, chegou a comparar o projeto do republicano ao Muro de Berlim. Após a reunião, Kuczynski declarou que a conversa com o presidente americano na Casa Branca foi "amigável e positiva". Segundo ele, os dois discutiram "temas de interesse comum, como comércio, imigração, problemas na América Latina e a possibilidade de uma boa relação com os EUA". Trump, por sua vez, havia declarado antes do encontro que receber Kuczynski é uma grande honra e que o Peru é um "ótimo vizinho". "Temos um ótimo relacionamento, melhor do que nunca", disse. Segundo agências de notícias, os dois líderes conversaram a sós por apenas dez minutos. Depois, uma delegação liderada pelo ministro das Relações Exteriores do Peru, Ricardo Luna, se uniu ao encontro. Em questão de imigração, Kuczynski defendeu seu país afirmando que "o Peru não exportou criminosos aos Estados Unidos", poucos dias depois de o governo Trump lançar novas diretrizes que endurecem o controle migratório e aceleram o processo de deportação de imigrantes ilegais. "Conversamos sobre os imigrantes peruanos que vivem hoje nos EUA, e expliquei que muitos deles migraram por problemas que tivemos no Peru no passado, como o terrorismo. Acredito que ele entendeu", disse o líder, garantindo que seus cidadãos "cumprem a lei" no território americano. Outro tema esperado para a conversa era a questão envolvendo a extradição do ex-presidente peruano Alejandro Toledo, que está nos Estados Unidos. Considerado foragido pela Justiça peruana, ele é acusado de ter recebido 20 milhões de dólares em propina da empresa brasileira Odebrecht. Kuczynski afirmou que o assunto foi abordado por apenas "alguns segundos". "Essa é uma questão que compete ao poder judiciário do Peru e ao poder judiciário daqui, e vai continuar assim. Nós não estamos diretamente envolvidos no assunto", disse o mandatário peruano. Depois de o presidente do México, Enrique Peña Nieto, ter cancelado sua visita a Washington, Trump estaria tentando se aproximar da América Latina através de Kuczynski, segundo especialistas, principalmente agora que mais países do continente vêm se mostrando abertos ao diálogo. EK/efe/rtr/dpa/ap/dw

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos