PUBLICIDADE
Topo

Roteiro de três dias em Dresden

Carlos Albuquerque

25/04/2018 15h03

Além de abrigar um dos mais belos conjuntos arquitetônicos da Alemanha, capital da Saxônia é polo econômico e centro cultural pulsante no centro da Europa. Confira dicas do que ver na cidade.Muitos acreditam que um dia seja suficiente para conhecer o que a capital da Saxônia tem a oferecer. Ledo engano, pois a cidade e a região em torno de Dresden estão entre as mais belas do continente europeu. Sendo assim, uma visita de três dias inteiros está de bom tamanho.

Se estiver vindo de trem a partir de Berlim ou Praga, você vai vivenciar uma viagem inesquecível pelo Vale do Elba, rio que banha a metrópole saxã, ladeado por castelos e mansões.

Leia também: Dicas de turismo em Dresden

Assim como Munique, Dresden foi capital de um reino, que teve em figuras como Augusto, o Forte e seu filho Frederico Augusto 2° grandes incentivadores das artes. A eles se devem muitos dos edifícios e coleções de renome mundial dos diversos museus da cidade. Sem esquecer também daquele que é ainda hoje um produto de exportação da Saxônia: a porcelana.

Em Dresden, o visitante poderá admirar um dos mais belos conjuntos arquitetônicos barrocos da Europa. No entanto, muito do que você está vendo foi reconstruído após a destruição completa da cidade por bombardeios aliados nos últimos meses da Segunda Guerra Mundial.

A capital da Saxônia não é somente história, mas também um polo econômico e um centro cultural pulsante no centro da Europa. Além disso, em seu entorno se encontra uma das paisagens naturais mais belas da Alemanha: o Parque Nacional da Suíça Saxônica, uma visita imperdível.



1° Dia: Centro histórico e passeio pelo Elba

Iniciando seu dia com um passeio pelo centro histórico de Dresden. Você entenderá por que a cidade é chamada de "Florença do Elba" e por que seu entorno e silhueta inconfundíveis já foram cantados em verso e prosa e eternizados por pintores como Canaletto e Caspar David Friedrich.

Começando pela praça Theaterplatz, o primeiro prédio a lhe chamar atenção deverá ser certamente a ópera Semperomper, um edifício neobarroco onde nada menos que compositores como Richard Wagner fizeram suas estreias. A estátua equestre no meio da praça é do rei Johann.

Do outro lado da praça, você verá a Hofkirche, uma igreja católica em estilo rococó com uma marcante torre de 90 metros de altura. Vale a pena dar uma olhada no interior. O prédio classicista na esquina da praça é outra joia arquitetônica, a Altstädter Wache foi construída no século 19 como estação de polícia e abriga hoje um centro de informações turísticas e um café.

Na praça Schlossplatz, fica outro cartão-postal de Dresden: a ponte barroca Augustusbrücke, construída por Augusto, o Forte, interligando o centro histórico ao bairro de Neustadt.

Continue ao longo do terraço Brühlsche Terrasse. Além da vista espetacular sobre a cidade e o vale do rio Elba, você poderá tomar um café antes de prosseguir pelo passeio de 500 metros de comprimento ladeado por prédios históricos, como a Kunstakademie (Academia de Belas-Artes), com sua cúpula de vidro.

No final do terraço, você passará pelos jardins Brühlscher Garten. Desça a escadaria sinuosa até a entrada da antiga fortaleza Festung Dresden. Depois de passar pelo museu Albertinum, com sua famosa coleção de pinturas e esculturas, volte pela Salzgasse em direção à igreja Frauenkirche. Esse importante símbolo da cidade foi completamente destruído na Segunda Guerra e reinaugurado em 2005, após a reconstrução, pedra por pedra, com a ajuda de doações de todo o mundo.

Antes de prosseguir seu passeio, você poderá almoçar num dos muitos restaurantes da área em torno da Frauenkirche na praça Neumarkt, onde você verá uma estátua de Martinho Lutero.

Aproveite a tarde para conhecer Dresden, suas pontes e edifícios históricos a partir de outra perspectiva: num passeio de barco sobre o rio Elba. Abaixo do terraço Brühlsche Terrasse se encontra um ponto de embarque. Há tours de barcos com diferentes tipos de duração. Além da vista sobre o centro histórico da cidade, você também poderá se deleitar com o bairro de mansões de Loschwitz, passando por palácios e sob as famosas pontes do Elba.



2° Dia: Museus e Neustadt

Reserve a manhã do seu segundo dia para conhecer no centro histórico um dos mais importantes conjuntos de museus da Europa: o Residenzschloss (Palácio Real) e o Zwinger.

Partindo da praça Neumarkt, ao longo da rua Augustusstrasse, você irá se deparar com o famoso painel Fürstenzug (Procissão de Príncipes). Os seus cem metros de comprimento e 25 mil azulejos de porcelana Meissen contam a história de quase 800 anos de soberanos da dinastia Witten.

A entrada no complexo renascentista é feita pelo portão Georgentor. Você chegará então ao Stallhof, uma das mais antigas praças de torneio ainda preservadas. O Palácio Real abriga o Kupferstichkabinett, uma das mais importantes coleções de gravuras do mundo com originais de Dürer, Rembrandt e Caspar David Friedrich.

Imperdível é uma visita à Grünes Gewölbe ou Abóbada Verde. Entre 1723 e 1729, Augusto, o Forte transformou a sala do tesouro num museu para as joias da coroa. No espaço – que ficou conhecido por Grünes Gewölbe (Abóbada Verde), devido à cor das paredes – o monarca reuniu uma das coleções de joias reais mais valiosas da Europa, além de peças de marfim, bronze e pedras preciosas.

Há também o gabinete de moedas Münzkabinett e o gabinete de armaduras Rüstkammer. O museu fecha às terças-feiras. Para visitar a parte histórica da Grünes Gewölbe no térreo é preciso comprar o ingresso com hora marcada, já que o número de visitantes é limitado a cerca de cem pessoas por hora.

Bem próximo do Palácio Real está o Zwinger, um dos mais importantes testemunhos do barroco europeu. Seu nome remonta a uma antiga fortaleza, mas hoje os prédios desta obra de arte total abrigam uma das mais importantes coleções de pintura e escultura da Alemanha. Ali está, por exemplo, a Madona Sistina, uma das atrações de Dresden, pintada por Rafael Sanzio.

Para a tarde de seu segundo dia, um programa menos histórico, mas igualmente interessante: conhecer o movimentado bairro de Neustadt (cidade nova). A partir da praça Alaunplatz, desça a rua Alaunstrasse até a galeria Kunsthofpassagen, composta de cinco pátios com diferentes lojas, bares e clubes.

Continue pela Görlitzer Strasse e depois pegue à esquerda na Louisenstrasse e, depois, à direita na Pulsnitzer Strasse, onde você passará pelo antigo cemitério judeu (Alter Jüdischer Friedhof) e pela igreja Martin-Luther-Kirche. Virando à esquerda na rua Bautzner Strasse, você chegará à Pfundsmolkerei, a "mais bela leiteria do mundo". Adornada com azulejos art nouveau, ela atrai inúmeros turistas que vão ao local comprar leite, queijo, chocolate e outros produtos.

Com seus muitos bares, restaurantes e clubes, Neustadt se tornou o local ideal para sair à noite. Como o bairro foi menos bombardeado que o centro de Dresden, o seu conjunto arquitetônico do fim do século 19 é um convite a um passeio também durante o dia. Outra atração do bairro é a ousada ampliação do Museu Histórico Militar (Militär Historisches Museum), assinada por Daniel Libeskind, arquiteto do Ground Zero em Nova York.



3° Dia: Passeios e Suíça Saxônica

Há várias formas de aproveitar o seu último dia em Dresden: no bairro de Loschwitz, você pode pegar o Schwebebahn (trem elevado) até Oberloschwitz. Outra opção é conhecer a Gläserne Manufaktur (Manufatura Envidraçada), onde os visitantes podem observar em pequenos grupos a montagem de carros elétricos da Volks. O antigo prédio da fábrica de cigarros Yenidze, com sua arquitetura oriental, também é outra atração arquitetônica da cidade.

A Saxônia é também o berço da porcelana europeia, cuja fabricação foi descoberta por um alquimista a encargo de Augusto, o Forte. A noroeste de Dresden se encontra a cidade de Meissen e sua famosa fábrica do produto que ficou conhecido como "ouro branco".

Um passeio ao Parque Nacional da Suíça Saxônica (Sächsiche Schweiz) também é imperdível. A beleza da região montanhosa já inspirou pintores como Caspar David Friedrich. A área possui centenas de trilhas, oferecendo condições ideais para caminhadas e prática de rapel.

A ponte Bastei possibilita aos visitantes uma vista espetacular sobre as rochas e já é uma atração turística há quase 200 anos. A fortaleza Festung Königstein e o centro histórico da cidade de Pirna são outras boas opções para quem visita a região da Suíça Saxônica.

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App