PUBLICIDADE
Topo

Polícia mata jovem negro em confronto e provoca protestos em cidade nos EUA

19/08/2015 22h02

Washington, 19 ago (EFE).- Dezenas de pessoas foram nesta quarta-feira às ruas de Saint Louis, no estado do Missouri (EUA), muito próxima à cidade de Ferguson, depois de um homem negro armado ter morrido em um enfrentamento com dois policiais.

Várias pessoas foram presas por bloquearem o tráfego nas principais vias da cidade e por lançarem objetos, incluindo tijolos, contra as forças de segurança, indicou a Polícia de Saint Louis.

Dois agentes foram cumprir um mandado de busca e apreensão em uma casa localizada em um dos bairros mais violentos da cidade quando, antes de entrarem no imóvel, dois jovens negros fugiram pela porta dos fundos, explicou o chefe da Polícia de Saint Louis, Sam Dotson.

Eles ordenaram que a dupla parasse de correr, mas um deles apontou uma arma para os policiais, que atiraram quatro vezes e acabaram o matando. O jornal local "St. Louis Post-Dispatch" identificou o morto como Mansur Ball-Bey, de 18 anos.

"Os agentes procuravam armas, iam atrás de criminosos violentos, de pessoas que cometeram delitos na região", indicou Dotson, que explicou que a pistola usada pelo negro morto era roubada e que os agentes encontraram cocaína na casa.

Apesar de a vítima estar armada (e supostamente ter ameaçado os policiais), várias dezenas de afro-americanos foram ao local do incidente e depois saíram pelas ruas da cidade para protestar.

Saint Louis é a maior cidade de uma região metropolitana que também engloba Ferguson, que ficou famosa em todo mundo após da morte do afro-americano Michael Brown, em agosto do ano passado, pelas mãos de um policial branco.

Ao contrário do morto hoje, Brown estava desarmado. Sua morte desencadeou uma série de distúrbios em Ferguson e várias outras cidades americanas, servindo como incentivo para a criação do movimento "Black Lives Matter" (Vidas Negras Importam), que se transformou em um dos grupos protagonistas da vida política do país.

Na semana passada, foi celebrado em Ferguson o primeiro aniversário da morte de Brown. Devido aos enfrentamentos entre manifestantes e a polícia, foi preciso declarar estado de emergência.