Eslovênia adotará mesmas restrições impostas pela Áustria aos refugiados

Em Zagreb (Croácia)

  • Jure Makovec/AFP

    24.out.2015 - Policiais escoltam migrantes e requerentes de asilo até um centro de refugiados, após terem cruzado a fronteira croato-eslovena perto de Rigonce (Eslovênia)

    24.out.2015 - Policiais escoltam migrantes e requerentes de asilo até um centro de refugiados, após terem cruzado a fronteira croato-eslovena perto de Rigonce (Eslovênia)

Se a Áustria introduzir limitações à entrada de refugiados, a Eslovênia aplicará as mesmas medidas em sua fronteira sul com a Croácia, garantiu o primeiro-ministro esloveno, Miro Cerar, em declarações divulgadas nesta quarta-feira (20) em jornais.

"Se a Áustria adotar medidas para diminuir a afluência de refugiados, a Eslovênia terá que reagir adequadamente de forma imediata, coisa que informaremos também à Croácia", anunciou o primeiro-ministro esloveno ontem à noite, em entrevista à TV pública TV Slo.

Cerar garantiu não saber que medidas seriam adotadas, mas considerou que as colocaria em prática provavelmente no final desta semana. "Estamos em contato com a Áustria e esperamos que nos informem a tempo sobre suas medidas", disse.

A Áustria quer limitar as solicitações de asilo a um máximo anual de 30 mil ou 40 mil, pelos próximos anos, o que contrasta com os cerca de 90 mil pedidos que o país registrou em 2015.

Segundo vários jornais, que citam fontes do governo, a decisão de estabelecer um número máximo de solicitantes de asilo será acordada hoje em reunião em Viena do Executivo com representantes regionais e locais.

O primeiro-ministro esloveno opinou que, para regular melhor a afluência de refugiados, é imprescindível fortalecer o controle das fronteiras externas da União Europeia e, concretamente, da fronteira entre Macedônia e Grécia.

Uma política conjunta impediria o "efeito dominó" e a possibilidade de conflitos entre os países dos Bálcãs ocidentais perante o fechamento das fronteiras para os refugiados, afirmou Cerar.

O líder conservador e provável futuro vice-primeiro-ministro da Croácia, Tomislav Karamarko, anunciou na segunda-feira passada que a Croácia fecharia suas fronteiras para os refugiados se Áustria e Eslovênia derem esse passo.

"Trata-se de um efeito dominó que toda a Europa terá que seguir. Nos veremos obrigados a recorrer aos mesmos métodos e medidas que os países-membros", comentou Karamarko, provável vice-presidente do novo governo croata, cuja posse no Parlamento é esperada para esta sexta-feira.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos