Seul acusa Pyongyang de pagar salários em Kaesong para armamento

Seul, 14 fev (EFE).- O ministro da Unificação da Coreia do Sul, Hong Yong-pyo, acusou neste domingo o Norte de reter a maior parte do volume salarial dos trabalhadores norte-coreanos no recém fechado complexo industrial de Kaesong para usá-la em seus programas ++armamentísticos++.

"Cerca de 70% dos salários, pagos em dólares, fica com o governo (norte-coreano), e aos operários só lhes dão cartilhas para comprar comida e outros bens básicos e um pouco de divisa local (won norte-coreano)", afirmou o titular de Unificação, Hong Yong-pyo, em entrevista.

"Toda divisa estrangeira que entra na Coreia do Norte é transfeeida para o Partido dos Trabalhadores, que o usa depois para desenvolver armas nucleares ou mísseis ou para comprar bens de luxo (destinados ao líder norte-coreano Kim Jong-un e seu entorno)", prosseguiu Hong.

O ministro se amparou em um documento publicado hoje mesmo pela pasta que comanda, e no qual se assegura que informação procedente de "múltiplos canais" corrobora o desvio em massa de fundos rumo ao partido único norte-coreano. EFE

aaf-asb/ma

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos