Número de pobres aumentou em 3 milhões na Rússia em 2015

Moscou, 26 fev (EFE).- O número de pobres na Rússia aumentou em três milhões de pessoas em 2015 até alcançar 19 milhões devido à profunda recessão na qual se encontra imersa a economia russa, informou nesta sexta-feira Maxim Tolipin, ministro do Trabalho.

"Em um ano, em números absolutos (o número de pobres) aumentou em três milhões, ou seja, de 16 milhões passamos a 19 milhões de pessoas que se encontram abaixo da linha de pobreza", disse Tolipin à imprensa local.

O índice mínimo de subsistência neste país está atualmente em menos de 10.000 rublos mensais (cerca de R$ 515), quando a inflação disparou nos últimos meses o custo da cesta básica.

Além da queda dos salários e do aumento da inflação e do desemprego, o maior problema para muitas famílias russas é a perda de poder aquisitivo devido à desvalorização da moeda nacional, o rublo, que perdeu mais da metade de seu valor frente ao euro e o dólar desde o final de 2014.

Devido à queda dos preços do petróleo, às sanções ocidentais e à falta de reformas estruturais, a economia russa, que se contraiu 3,7%, voltará a recuar em 2016, segundo o governo russo e o Fundo Monetário Internacional (FMI).

O Executivo russo prepara agora um plano anticrise para impulsionar as exportações dos setores não vinculados com as matérias- primas, mas a falta de fundos impediu por enquanto sua aprovação.

Para obter fundos, a Rússia terá que recorrer à privatização de corporações estatais como a companhia petrolífera Rosneft, com a qual o governo espera arrecadar 500 bilhões de rublos (cerca de R$ 25,8 bilhões), segundo disse hoje o ministro das Finanças, Anton Siluanov.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos