Confrontos com EI matam 49 milicianos ligados a Trípoli, na Líbia

Trípoli, 27 fev (EFE).- Um total de 49 milicianos afins ao governo de Trípoli morreram nos últimos dois dias em sangrentos combates com membros do ramo líbio do grupo terrorista Estado Islâmico (EI) na cidade de Sabratah, afirmaram fontes de segurança à Agência Efe.

Outros 300 milicianos ficaram feridos, alguns deles gravemente, e foram transferidos para hospitais das cidades vizinhas e da capital.

A fonte acrescentou que quatro mulheres que combatiam nas fileiras do EI, supostamente de nacionalidade tunisiana, foram detidas durante os ataques.

Após os combates, as milícias locais atacaram um edifício na cidade de Al Alalga, onde acharam um número indeterminado de corpos queimados por explosões de granadas de mão.

Os confrontos, que explodiram na quinta-feira, deixaram 30 mortos entre os jihadistas do EI na cidade de In Zuagwa, a cinco quilômetros de Sabratah, informaram então fontes de segurança.

"16 dos jihadistas morreram no ataque das milícias locais a um edifício de franco-atiradores próximo aos dois que os EUA bombardearam há uma semana. Quando chegaram os carros de combate não receberam disparos. Entraram e acharam dez corpos no telhado. Todos eram tunisianos", detalharam.

Forças afins à Trípoli e grupos jihadistas combatem em Sabratah desde que aviões de combate americanos bombardearam dois edifícios, matando 50 pessoas, entre elas dois diplomatas sérvios que tinham sido sequestrados meses atrás pelo EI.

Segundo as autoridades militares norte-americanas, o alvo do ataque era um conhecido líder jihadista tunisiano ligado ao EI e que é acusado de instigar dois dos três atentados que a Tunísia sofreu em 2015.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos