Anúncios de anticoncepcionais são proibidos no Paquistão por contrariar islã

Islamabad, 27 mai (EFE).- A Autoridade Reguladora de Veículos de Mídia Eletrônicos do Paquistão (PEMRA, na sigla em inglês) proibiu os anúncios de anticoncepcionais em rádio e televisão por considerá-los contrários ao islã, após receber queixas de pais pelas perguntas curiosas de seus filhos.

A ordem de proibição "foi emitida depois das queixas que esses anúncios não podem ser vistos enquanto se está sentado com a família e por não serem aceitáveis em uma sociedade muçulmana", disse o porta-voz da PEMRA, Muhammad Tahir, à Agência Efe nesta sexta-feira.

O porta-voz indicou que, "para evitar críticas", a diretriz foi enviada a televisões e rádios sem ser divulgada por redes sociais como a conta oficial da entidade no Twitter.

"O público geral está muito preocupado com a exposição de tais produtos perante crianças inocentes, que são curiosas sobre as características e uso de produtos", adverte a ordem à qual a Efe teve acesso.

O texto acrescenta que "os pais mostraram apatia na publicidade de tais produtos e exigiram sua proibição".

A autoridade ordenou que os anúncios deixem de ser emitidos de forma imediata e advertiu de ações legais contra os que descumprirem a diretriz.

O debate sobre o controle dos veículos de comunicação e das redes digitais é habitual no Paquistão e está marcado pela grande influência que setores religiosos fundamentalistas têm no país asiático.

Cerca de 98% dos 200 milhões dos habitantes são muçulmanos no Paquistão, o primeiro país a declarar-se como república islâmica. EFE

aa-lar/rsd

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos