Mais de 40 mortos no final da trégua de três dias na Síria

Cairo, 9 jul (EFE).- Subiu para 43 mortos, entre eles 11 crianças, por conta dos bombardeios sobre a cidade de Aleppo, no norte da Síria, durante as últimas horas da trégua de três dias que expirou na meia-noite (hora local), informou neste sábado o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

Pelo menos 34 pessoas morreram devido ao impacto de foguetes disparados pelas facções rebeldes sobre os bairros de Aleppo controlados pelas autoridades sírias, no oeste da cidade, como Al Furqan e Al Masharqa, e o campus universitário.

Os bombardeios deixaram mais de 200 feridos, alguns estão em estado crítico, por isso as mortes podem aumentar nas próximas horas.

Além disso, nove civis, entre eles uma menina recém-nascida, morreram devido aos bombardeios aéreos sobre as áreas da cidade dominadas pelos insurgentes.

Enquanto isso, a agência oficial de notícias "Sana" informou que 30 civis morreram e mais de 140 ficaram feridos pelo disparo de foguetes sobre bairros residenciais de Aleppo por parte dos "grupos terroristas".

"Sana" denunciou a "violação do regime de calma" por parte dos rebeldes armados, depois que o Exército sírio anunciou na última quarta-feira uma trégua de 72 horas por ocasião da festividade do Eid al-Fitr, que marca o fim do mês sagrado do Ramadã.

A Comissão Suprema para as Negociações (CSN), principal aliança de oposição, também se comprometeu a respeitar o cessar-fogo, que expirou ontem à noite.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos