Sequestrador de banco em Moscou comparece hoje no Tribunal

Moscou, 25 ago (EFE).- O homem que na noite de quarta-feira fez vários reféns ontem à noite em banco de Moscou, e ameaçou detonar uma bomba se entregou à polícia e comparecerá nesta quinta perante a Justiça, informou o Comitê de Instrução da Rússia.

O sequestrador, um empresário de 55 anos, identificado como Aram Petrosyan, transportava no peito uma caixa onde dizia se tratar de uma bomba, mas na realidade o material era sal comum.

"Ele disse que não tem nada contra o povo do banco, mas contra o banco em si. Em seguida, afirmou que não planejava roubar o banco, mas tomá-lo e exigiu negociações com a polícia", revelou uma fonte policial à agência "Interfax".

A polícia isolou a área próxima ao banco e iniciou negociações com Petrosyan, que aceitou libertar seus reféns, se entregando em seguida para as autoridades.

Antes de tomar a agência bancária, o sequestrador publicou na internet um vídeo dirigido ao presidente russo, Vladimir Putin, onde anunciou sua intenção e pediu para que ele tomasse medidas contra falências de empresas e pessoas físicas, assim como criar um organização estatal para resolver este problema.

"Se por acaso eu continue vivo, te peço como pessoa (...) que seja meu advogado", afirmou Petrosyan, no vídeo dirigido ao presidente russo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos