Bombardeios da coalizão árabe deixam ao menos 11 mortos no Iêmen

Sana, 26 ago (EFE).- Bombardeios da coalização árabe liderada pela Árabia Saudita, no norte do Iêmen, causaram a morte de pelo menos 11 civis, entre eles mulheres e crianças, e deixaram vários feridos, informou nesta sexta-feira a agência "SABA", controlada pelos rebeldes houtis.

A agência afirmou que o ataque atingiu duas casas na região de Aal al Zamah, no distrito de Baqam, na província de Saada e acrescentou que o sobrevoo intenso da aviação provocou atraso na chegada das equipes de resgate ao local, onde os corpos se encontravam sob os escombros.

Ontem, a "SABA" informou que pelo menos cinco civis morreram e seis ficaram feridos em Baqam, em um bombardeio da coalizão árabe contra um mercado popular.

Baqam se encontra na parte iemenita da fronteira com a região saudita de Najran, que foi palco de tentativas de ataques por parte dos combatentes hutis.

Em resposta, a agência informou que os rebeldes lançaram um míssil balístico contra a região saudita de Yizan, no sudoeste da Arábia Saudita.

Ontem, a ONU pediu uma investigação internacional, completa e independente, de uma série de crimes documentados no conflito do Iêmen, após questionar a credibilidade das investigações conduzidas por uma comissão nacional iemenita criada pelo governo do presidente Abdo Rabbo Mansour Hadi.

A partir de então, foi registrada uma grave intensificação do conflito e o aumento de vítimas entre a população civil, que se atribui em grande parte aos bombardeios aéreos da coalizão contra os hutis.

Segundo o relatório da ONU, desde então morreram no conflito 3.799 civis e 6.711 ficaram feridos. Estes números não contabilizam as baixas entre os combatentes.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos