Suposto membro do ETA seguirá detido no Rio até decisão sobre extradição

Brasília, 30 abr (EFE).- O suposto membro do grupo terrorista ETA, Joseba Gotzon Vizán González, foi detido no Rio de Janeiro e permanecerá nessa situação até que se decida sobre sua extradição para a Espanha, confirmaram neste domingo à Agência Efe fontes oficiais.

Vizán González foi detido na sexta-feira passada, depois que foram negados os últimos recursos que apresentou desde o início de 2013, quando foi localizado no Rio de Janeiro em virtude de uma ordem europeia de detenção ditada pela Audiência Nacional espanhola.

Após quase três meses na prisão, Vizán Gonzáles foi libertado graças a um habeas corpus apresentado por sua defesa, que por meio de outras ações legais conseguiu adiar o processo, que com sua nova detenção agora será retomado visando sua possível extradição, explicaram as fontes oficiais consultadas pela Efe.

Vizán González é acusado de participar no dia 14 de janeiro de 1988, junto com outros membros do "Comando Vizcaya", no atentado com uma bomba colocada no veículo do policial Manuel Muñoz Domínguez, que ficou gravemente ferido.

Dias depois, com a mesma tática, teria tentado assassinar o policial José María Diéguez García, em Bilbao.

Em 13 de abril de 1988 os membros do "Comando Vizcaya", com suposto apoio de Vizán González, também efetuaram uma tentativa fracassada de atentado, por meio do lançamento de granadas, contra uma viatura de polícia do País Basco.

Em 1991, após a desarticulação do "Comando Vizcaya", Vizán González fugiu da Espanha, se estabeleceu primeiro na França e depois no México em 1993, após o que chegou em 1996 ao Brasil, onde viveu desde então com uma identidade falsa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos