Mortes em protestos na Venezuela sobem para 62 após mulher ser baleada

Em Caracas

  • Federico Parra/AFP Photo

    Manifestante de oposição protesta com pedras das mãos contra a autoridade de Maduro

    Manifestante de oposição protesta com pedras das mãos contra a autoridade de Maduro

Uma mulher de 46 anos morreu ao ser baleada durante uma manifestação no Estado de Lara, no oeste da Venezuela, aumentando para 62 as vítimas mortais nos últimos dois meses de protestos no país, de acordo com informações divulgadas na quinta-feira (1ª) pela Promotoria.

O Ministério Público disse através do Twitter que as autoridades de Lara "investigarão a morte de María Rodríguez (46), que recebeu um tiro durante uma manifestação" na região de Cují.

A Promotoria não deu detalhes sobre este o ocorrido, que elevou para 62 o número de mortos desde que a oposição iniciou, em 1º de abril, uma série de protestos para exigir eleições gerais e a abertura de um canal humanitário com o objetivo de facilitar a chegada ao país de alimentos e medicamentos, entre outros.

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, convocou uma Assembleia Constituinte como forma de sair da crise.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos