Porto-riquenhos optam pela anexação aos EUA em plebiscito

Em San Juan

  • Alvin Baez/ Reuters

    Mulher beija bandeira dos EUA durante ato em San Juan, em Porto Rico

    Mulher beija bandeira dos EUA durante ato em San Juan, em Porto Rico

Um total de 97,17% das pessoas que votaram neste domingo em um plebiscito sobre o status jurídico de Porto Rico optou pela anexação aos Estados Unidos.

Tal número superou amplamente a preferência pela independência, que obteve 1,5% dos votos, e apenas 1,3% optou pelo status atual de Estado Livre Associado (ELA).

De um total de 2.260.804 eleitores registrados, cerca de meio milhão saiu para votar em uma consulta não vinculativa.

Logo após os resultados serem divulgados, o principal partido da oposição, o Partido Popular Democrático (PPD) de Porto Rico, disse através de seu presidente, Héctor Ferrer, que os resultados estão "longe" de serem significativos e constituem uma derrota para o governador, Ricardo Rosselló.

Apesar de a anexação ganhar com mais de 97% dos votos, oito a cada 10 eleitores não compareceram às urnas, manifestou.

"Foram para a rua, à praia, ao rio. Não se importaram (os eleitores). Perderam a anexação e Rosselló. Não conseguiram a maioria", disse Ferrer em uma entrevista coletiva.

Neste sentido, o diretor de campanha e vice-presidente do governante Partido Novo Progressista (PNP), Thomas Rivera Schatz, defendeu a vitória da anexação e deu pouca importância para a queda de votos em relação ao plebiscito de 2012. Em tal ocasião, a anexação conseguiu mais de 800 mil votos.

"Em Porto Rico somos pouco mais de três milhões de habitantes e nos EUA há agora mais de cinco milhões", ressaltou.

O plebiscito aconteceu sem maiores incidentes, exceto pela queima de bandeiras americanas por parte de independentistas em frente à Comissão Estatal de Eleições (CEE) em San Juan, após a votação, e denúncias de irregularidades em alguns centros de votação que para as autoridades não tiveram gravidade.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos