Alemanha faz alerta após receber ameaça sobre envenenamento de alimentos

(Atualiza com mais detalhes)

Berlim, 28 set (EFE).- A polícia e promotoria de Constança (sul da Alemanha) pediram nesta quinta-feira a colaboração dos cidadãos depois que um desconhecido ameaçou diversas redes de supermercados de todo país dizendo que iria colocar produtos envenenados em suas prateleiras se não receber um pagamento de milhões de euros.

Em uma coletiva de imprensa conjunta, a polícia e a promotoria falaram sobre a chantagem perante sua "extraordinária relevância", pois a ameaça, que pode afetar a Alemanha e outros países europeus, é levada "muito a sério" já que pode causar mortes.

O risco é assumido como real porque no e-mail no qual anunciou a chantagem, recebido em 16 de outubro pela polícia e as redes ameaçadas, o autor avisou às autoridades que já tinha colocado lotes de comida de bebês envenenados e foram dadas indicações concretas sobre quantos e onde foram distribuídos.

A polícia, que expropriou os produtos citados em diversas lojas da cidade de Friedrichshafen (sudoeste da Alemanha) e os retirou sem sem ter divulgado a ameaça, publicou hoje imagens do principal suspeito capturadas pelas câmeras de segurança de um supermercado e pediu a colaboração dos cidadãos para identificá-lo e detê-lo o mais rápido possível.

Trata-se de um homem de cerca de 50 anos, de média estatura e magro que nas imagens usa um gorro.

As autoridades, que situam por trás da ameaça uma ou várias pessoas "sem escrúpulos", pediram que não "pânico e a histeria" não se estendam, mas que na hora de realizar as compras preste atenção se os produtos em questão não foram manipulados e comprove ao abrir um pacote que faz o típico ruído que indica que estava fechado a vácuo.

O produto usado para contaminar as embalagens de comida para crianças foi etilenglicol, um composto químico incolor e ligeiramente doce que é utilizado, como exemplo, como anticongelante.

Na única mensagem recebida até o momento do suposto chantagista, havia ameaças de envenenamento de diferentes tipos de produto em diversas filiais tanto na Alemanha como no exterior, e não somente para comida de bebês.

Ainda que a polícia tenha se negado a facilitar o nome das empresas ameaçadas, o jornal "Bild" publicou que trata-se do Aldi, Rossmann, Lidl, DM, Müller, Edeka, Norma e Rewe, as principais redes de supermercados e drogarias do país.

A polícia não revelou o montante concreto da chantagem, mas acrescentou que é pelo menos de 10 milhões de euros.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos