De Mistura diz que não há alternativa para negociações da ONU sobre a Síria

Moscou, 21 dez (EFE).- O enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, afirmou nesta quinta-feira que não há alternativa para as negociações em Genebra sobre o conflito no país árabe, em uma reunião com os ministros das Relações Exteriores, Sergei Lavrov, e Defesa, Sergei Shoygu, da Rússia.

"Devemos trabalhar para que Genebra dê resultados, já que não há alternativa ao processo de Genebra, que foi reconhecido pela comunidade internacional e está sendo realizado sob a égide da ONU", disse De Mistura no início da reunião.

O diplomata garantiu que um ano "importante" para a solução do conflito está perto de acabar e que "a crise síria vive um momento crucial".

"Chegou a hora de avançar no processo político", assinalou De Mistura, que admitiu que a última rodada de negociações na cidade suíça não ofereceu resultados, segundo a imprensa local.

Ao mesmo tempo, De Mistura reconheceu que o diálogo nas consultas em Astana, no Cazaquistão, uma iniciativa russa que terá hoje sua oitava rodada, "ajudou a reduzir a escalada na Síria".

"Devemos reconhecer que na Síria estão ocorrendo resultados significativos", disse o enviado da ONU, que também expressou sua confiança de que haverá avanços nas conversas na capital cazaque em relação à libertação de prisioneiros de guerra.

Precisamente, De Mistura assistirá amanhã à segunda jornada de consultas em Astana, onde apresentará novas ideias para impulsionar uma transição política na Síria.

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia criticou hoje o mediador suíço por este ter acusado o regime de Bashar al Assad de impedir o processo de paz em Genebra ao apresentar uma série de considerações para não negociar com a oposição.

Lavrov, por sua vez, assegurou na reunião com De Mistura que alguns países tentam dificultar a solução do conflito no país árabe.

Além disso, o ministro russo lembrou que amanhã em Astana serão discutidos assuntos como o regime de cessar-fogo e a situação humanitária, e lembrou a iniciativa russa apoiada por Irã e Turquia para convocar um congresso de diálogo nacional sírio.

"Todas essas ações estão voltadas para o cumprimento das decisões do Conselho de Segurança da ONU e para criar as melhores condições para as negociações sob a mediação da ONU", insistiu Lavrov.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos