Ataque contra casa do presidente da RD do Congo deixa 2 mortos

Kinshasa, 25 dez (EFE).- Pelo menos dois policiais morreram nesta segunda-feira num ataque de rebeldes contra uma das residências do presidente da República Democrática do Congo, Joseph Kabila, na cidade de Musienne, no nordeste do país, informou a imprensa local.

A casa, que fica perto da cidade de Butembo, uma das mais importantes da província do Nord-Kivu e do país, foi incendiada por supostos membros da milícia Mai Mai, que tenta tirar da região dos integrantes das Forças Democráticas para a Liberdade de Ruanda (FDLR), que há anos controlam a zona.

O caso aconteceu às 3h (horário local, meia-noite em Brasília), de acordo com a rede de TV "L'Avenir", que afirmou que em um primeiro momento as forças de segurança conseguiram conter os insurgentes, mas depois o Mai Mai conseguiu entrar e incendiar a casa. Nada foi levado.

Segundo o canal, os serviços de inteligência foram para o local para investigar o que aconteceu e tentam controlar o vazamento de informações.

Joseph Kabila está no poder desde 2001, desde que o pai, Laurent Kabila, morreu, e a oposição continua convocando protestos e endurecendo cada vez mais o tom das intervenções contra ele por considerar que permanece numa posição que deveria ter deixado em 2016, quando terminou o mandato.

A Comissão Eleitoral da República Democrática do Congo anunciou em 6 de novembro que as eleições para presidente, previstas inicialmente para dezembro de 2016, acontecerão em 23 de dezembro de 2018, embora o governo e a oposição tenham alcançado um acordo para organizar o pleito ainda este ano. Joseph Kabila não poderá concorrer a um terceiro mandato, conforme a lei do país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos