PUBLICIDADE
Topo

Polícia egípcia mata três supostos terroristas e detém dez pessoas

Khaled Desouki/AFP
Imagem: Khaled Desouki/AFP

30/12/2017 15h59

As forças de segurança egípcias mataram três supostos membros do grupo terrorista Movimento Braços de Egito- Hasm (Determinação), que as autoridades vinculam à Irmandade Muçulmana, e detiveram outros dez, informou neste sábado (30) o Ministério de Interior.

Em comunicado, o departamento detalhou que os três terroristas morreram em um tiroteio que aconteceu durante uma batida da polícia, que chegou ao "esconderijo" dos suspeitos em uma fazenda situada na estrada entre as localidades de Al Kuraimat e Atfih, na província de Guizé, próxima à capital.

Segundo a nota, os três eram "líderes destacados" do Hasm que eram responsáveis por "supervisionar a fabricação de explosivos e a execução de operações terroristas".

Na fazenda, onde fabricavam bombas, os agentes confiscaram três fuzis automáticos, dois artefatos explosivos e munição.

Por outro lado, dez supostos membros do Hasm foram detidos em duas operações policiais nas províncias de Qaliubiya e Faium, situadas ao norte e ao sul do Cairo, respectivamente.

Os dez detidos tinham em posse três fuzis automáticos, cinco cartuchos, nove artefatos explosivos e documentos do grupo, detalhou o Ministério Interior.

Além disso, segundo o departamento, Hasm estava planejando "uma série de operações hostis contra instalações turísticas, vitais e contra as forças de segurança, coincidindo com as comemorações do Natal" copta, em 7 de janeiro.

A nota descreveu o Hasm como "um dos braços armados da Irmandade Muçulmana", grupo que governou o Egito entre 2012 e 2013 e que foi tirado do poder em um golpe de Estado militar em julho desse ano, e declarado terrorista em 2014.