PUBLICIDADE
Topo

Nigéria confirma libertação de várias meninas sequestradas pelo Boko Haram

21/03/2018 07h38

Abuja, 21 mar (EFE).- Algumas das 110 meninas sequestradas há mais de um mês pelos jihadistas do Boko Haram foram libertadas em sua cidade, Dapchi, no nordeste da Nigéria, confirmou nesta quarta-feira o porta-voz da presidência do país, Garba Shehu.

"As meninas estão sendo transportadas para um local seguro. Daremos detalhes mais tarde. Agradecemos a Deus", afirmou Shehu, em declarações publicadas pelo jornal "The Punch", sem fornecer números concretos.

Por sua vez, o presidente da Associação de Pais das Estudantes de Dapchi, Bashir Man, confirmou ao jornal "Premium Times" a liberdade das menores.

"Meus familiares e colegas em Dapchi acabam de me informar que as meninas foram devolvidas nesta manhã", disse Man, também sem concretizar o número de meninas postas em liberdade.

Algumas das informações oferecidas pela imprensa local asseguram que seriam 105 as libertadas e que cinco teriam morrido durante o sequestro, mas o Governo, por enquanto, não confirmou esses dados.

As estudantes foram sequestradas em 19 de fevereiro após um ataque contra um instituto feminino de Dapchi, no estado de Yobe, que lembrou à população o sequestro pelo Boko Haram de mais de 200 meninas em 2014 em Chibok, na vizinha região de Borno, das quais 112 não foram libertadas ainda.

A incerteza reinou na primeira semana após o incidente porque as autoridades se culpavam mutuamente e não confirmavam os fatos, até que o presidente do país, Muhammadu Buhari, reconheceu que as meninas tinham sido sequestradas por terroristas e qualificou o incidente de "desastre nacional".

O chefe de Estado se inclinou a negociar com os terroristas para garantir "a liberdade das meninas de forma segura" e, em uma visita a Yobe há uma semana, prometeu que o seu Executivo não descansaria até que a última das meninas fosse devolvida à sua família.

O ministro nigeriano de Defesa, Mansur Dan-Ali, assegurou no passado fim-de-semana que as 110 meninas seriam libertadas em uma ou duas semanas, sem dar maiores explicações.

A Anistia Internacional denunciou ontem que o Exército nigeriano ignorou pelo menos cinco chamadas que alertavam que um comboio do Boko Haram se dirigia a Dapchi no mesmo dia do sequestro das estudantes.

Este novo sequestro causou grande indignação na população e medo na zona, já que as escolas vizinhas estão fechadas desde que ocorreram os fatos.