PUBLICIDADE
Topo

China controlará via GPS cidadãos muçulmanos que peregrinarem à Meca

31/07/2018 09h16

As autoridades da China começaram a controlar com cartões equipados com GPS milhares de muçulmanos do país que viajam para Meca (Arábia Saudita) com a aproximação do período de peregrinação ou "Hach", informou nesta terça-feira (31) o jornal "Global Times".

O objetivo deste programa piloto, que fornecerá estes cartões a 3,3 mil peregrinos, é "fazer com que a viagem seja melhor e mais segura", embora também poderia ajudar as autoridades chinesas a controlarem os movimentos desses viajantes, segundo o jornal oficial.

O cartão inclui o nome, número de passaporte e foto do peregrino chinês, além de um código QR com a mesma informação pessoal, tanto em chinês como em inglês.

O cartão também dispõe de um botão de emergência pelo qual pode avisar responsáveis da Associação Islâmica da China, dependente do Partido Comunista e organizadora destas viagens de peregrinação anuais.

Neste ano viajarão para a cidade santa do Islã no período de peregrinação (que vai de 19 a 24 de agosto) cerca de 11,5 mil chineses de religião muçulmana em diferentes grupos, menos do que os 12,8 mil do ano passado.

Calcula-se que cerca de 20 milhões de chineses pratiquem a religião muçulmana, a maioria pertencente a minorias étnicas como os uigures, os hui, os cazaques e os tajiques, entre outros.

Organizações uigures no exílio acusam o regime comunista de contínuas repressões à sua cultura e à sua religião, sob a desculpa de lutar contra o independentismo, o separatismo e o extremismo.