PUBLICIDADE
Topo

Milhares de pessoas se despedem de Aretha Franklin em Detroit

28/08/2018 14h56

Detroit (EUA), 28 ago (EFE).- Milhares de pessoas compareceram nesta terça-feira ao Museu Charles H. Wright de História Afro-Americana de Detroit (EUA) para se despedir da "Rainha do Soul", Aretha Franklin, que morreu em 16 de agosto aos 76 anos.

O corpo de Franklin ficará exposto entre esta terça-feira e quarta-feira no museu de Detroit para que os moradores da cidade e milhares de pessoas chegadas de todo o país possam se despedir da cantora, que vivia na cidade desde que tinha quatro anos.

Seguindo os desejos da família, os restos da artista repousam em um caixão totalmente aberto com um vestido longo vermelho e sapatos de salto da mesma cor.

No interior do caixão dourado, está bordada a inscrição "Aretha Franklin, Rainha do Soul".

Apesar do intenso calor e da umidade de hoje em Detroit, milhares de pessoas faziam fila pacientemente ao redor do Museu de História Afro-Americana para se despedir da diva do soul.

A cantora morreu em 16 de agosto em sua casa de Detroit por conta de um câncer de pâncreas.

Filha do reverendo Clarence LaVaughn Franklin, que na década de 40 era considerado o pastor negro mais famoso do país, Franklin foi criada em um lar cheio de música, mas também de destacadas personalidades do movimento dos direitos civis dos Estados Unidos, como Martin Luther King.

Ao seu funeral, que será realizado na sexta-feira em Greater Grace Temple, uma igreja de Detroit onde em 2005 ocorreram o funeral da histórica ativista Rosa Parks, está previsto que compareçam destacadas personalidades do mundo político, cultural e social dos Estados Unidos.

A família de Franklin já anunciou que o ex-presidente Bill Clinton (1993-2001) será um dos oradores na cerimônia, na qual participarão também 19 artistas, entre eles Stevie Wonder, Faith Hill e Chaka Khan.

Franklin será enterrada após o funeral de sexta-feira junto ao seu pai e outros membros de sua família no cemitério de Woodlawn em Detroit.