PUBLICIDADE
Topo

Stone diz que acusações são falsas e que não testemunhará contra Trump

25/01/2019 16h10

Fort Lauderdale (EUA), 25 jan (EFE).- O consultor político republicano Roger Stone afirmou que as acusações que levaram sua prisão na manhã desta sexta-feira são falsas e garantiu que não testemunhará contra o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Stone passou metade do dia na prisão e foi solto após pagar fiança de US$ 250 mil, estabelecida por um tribunal da Flórida.

"Vou dizer que sou inocente", ressaltou Stone em meio aos gritos e vaias de manifestantes que pediam que ele fosse mantido preso.

Acompanhado de seu advogado, Grant Smith, Stone foi recebido por um numeroso grupo de jornalistas que o aguardava do lado de fora do tribunal federal de Fort Lauderdale, a 40 quilômetros de Miami.

Stone, que colaborou brevemente com a campanha de Donald Trump nas eleições presidenciais de 2016, é acusado de obstrução à Justiça, manipulação de testemunhas e prestar falso depoimento.

Sorridente, Stone, de 66 anos, disse ser um dos "mais velhos amigos" de Trump e ressaltou que o presidente faz um "grande trabalho". Além disso, o consultor político criticou a operação montada pelo FBI para prendê-lo.

Segundo o lobista, não havia necessidade para enviar agentes das forças especiais do FBI para sua casa.

"Bastava um telefonema", ressaltou.

O consultor político também criticou a equipe do promotor especial, Robert Mueller, que investiga se houve interferência da Rússia na campanha presidencial de 2016. Stone afirmou que Mueller informou a imprensa sobre a prisão antes de notificá-lo.

"É uma investigação por motivos políticos", ressaltou. EFE