PUBLICIDADE
Topo

Ataques da coalizão internacional deixam pelo menos 42 mortos na Síria

26/01/2019 11h50

Cairo, 26 jan (EFE).- Pelo menos 29 combatentes do Estado Islâmico (EI) e 13 civis morreram em ataques da coalizão internacional contra o grupo jihadista na província de Deir ez-Zor, no leste da Síria, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

A ONG informou que as forças da aliança internacional bombardearam nas últimas horas os campos da Al Baguz e os povoados de Al Marashida e Fuqani, na margem leste do rio Eufrates, na província de Deir ez-Zor, último reduto do EI.

O Observatório detalhou que sete dos civis eram familiares de um combatente do EI e afirmou que um grande número de pessoas, que não especificou, ficaram feridas.

Além disso, a ONG destacou que o número de mortos pode aumentar devido à gravidade do estado dos feridos.

As milícias das Forças da Síria Democrática (FSD), uma aliança militar liderada por curdos, mantêm desde setembro uma ofensiva para acabar com o EI no leste do país.

Após assediar duramente as últimas resistências jihadistas, as FSD garantiram nesta semana que tomaram o controle das últimas cidades nas mãos do EI em Deir ez-Zor e que os radicais dominam somente uma área de 15 quilômetros quadrados nessa província.

O Observatório afirmou que o número de mortos nas fileiras do EI desde 10 de setembro do ano passado, quando começou a ofensiva, se é de 1.250, enquanto o de civis é de 658.

Deir ez-Zor foi um dos redutos mais importantes do EI na Síria, junto à província da Raqqa.

O avanço das FSD desde o norte e das tropas do governo sírio desde o oeste colocaram o grupo jihadista liderado por Abu Bakr al Baghdadi à beira da eliminação depois que os radicais autoproclamaram o califado na Síria e no Iraque em junho de 2014. EFE