Topo

Quem é quem nas eleições primárias do Uruguai

2019-06-26T21:01:00

26/06/2019 21h01

Federico Anfitti.

Montevidéu, 26 jun (EFE).- O Uruguai realiza no próximo domingo eleições primárias para decidir quais serão os candidatos à presidência do país no pleito geral de outubro.

As primárias são obrigatórias para os 15 partidos do país, mas só quatro deles terão efetivamente uma disputa interna para decidir quem terá como concorrente.

Todos, porém, segundo a Corte Eleitoral do Uruguai, devem receber um mínimo de 500 votos para ter direito a disputar as eleições presidenciais.

Saiba quem são os principais nomes das primárias para as eleições presidenciais uruguaias:.

.

1) Frente Ampla (FA), quatro candidaturas governistas que defendem a unidade.

A coalizão de esquerda está no poder há 15 anos, com os mandatos de Tabaré Vázquez (2005-2010 e 2015-2020) e de José Mujica, e lançou sua habitual mensagem de unidade interna, apesar de seus candidatos terem diferentes perfis.

.

- Daniel Martínez: Ex-prefeito de Montevidéu, o candidato é o favorito a vencer a disputa, já quem tem o apoio da maioria dos setores e lidera as pesquisas por uma ampla diferença. É engenheiro industrial, foi ministro de Indústria, Energia e Mineração e presidente da companhia petrolífera estatal, Ancap.

- Carolina Cosse: A segunda colocada nas pesquisas em intenção de voto foi ministra de Indústria, Energia e Mineração de 2015 até o início deste ano, quando decidiu concorrer à pré-candidatura presidencial. Também engenheira, ela foi presidente da empresa estatal de telecomunicações do Uruguai, a Antel.

- Óscar Andrade: Terceiro nas pesquisas, ele surpreendeu nas primárias. Sindicalista da construção civil, o ex-deputado do Partido Comunista ganhou em pouco tempo o reconhecimento dos eleitores da Frente Ampla e se apresenta como uma opção firme para o futuro da coalizão.

- Mario Bergara: Ex-presidente do Banco Central do Uruguai em dois períodos (2008-2013) e (2015-2018), o também ex-ministro da Economia (2013-2015) é o último colocado nas pesquisas da Frente Amplo.

.

2) O Partido Nacional, principal de oposição e com chances de tirar a presidência das mãos da Frente Ampla, teve ter a disputa mais acirrada das primárias uruguaias graças à entrada de um milionário que movimentou a corrida eleitoral e promete surpreender.

- Luis Lacalle Pou: Filho de um ex-presidente e bisneto de uma das principais figuras políticas uruguaias do século XX, Pou é favorito a ser o candidato do Partido Nacional, já que tem uma ampla vantagem nas pesquisas internas da legenda. Foi derrotado em 2014 por Tabaré Vázquez, da Frente Ampla, o atual presidente do Uruguai.

- Juan Sartori: Magnata que se lançou na política no fim de 2018 de maneira surpreendente, Sartori tem ganhado espaço nas primárias do Partido Nacional e assumiu a segunda posição nas pesquisas, apesar das críticas dos próprios correligionários. Dono de várias empresas, de um veículo de imprensa e um dos principais acionistas do Sunderland, da terceira divisão do futebol inglês, ele garante que fará história e será candidato à presidência.

- Jorge Larrañaga: Atual senador, Larrañaga ocupa o terceiro lugar nas pesquisas, mas acredita que conseguirá reverter o quadro eleitoral e ser candidato à presidência pela segunda vez. O nacionalista foi derrotado por Vázquez em 2004, ainda em primeiro turno, e tentou ser o representante do Partido Naiconal em 2009 e em 2014. No entanto, acabou batido por Luis Lacalle Herrera e Lacalle Pou, respectivamente.

.

3) O Partido Colorado terá uma disputa entre a velha guarda e candidatos que propõem a renovação da legenda, que governou o Uruguai por mais tempo na história, mas está longe do poder desde 2004, influenciada pela crise que abalou o país em 2002.

- Julio María Sanguinetti: Duas vezes presidente do país (1985-1990 e 1995-2000), Sanguinetti voltou ao cenário político aos 83 anos para resgatar o partido e colaborar em um possível governo de coalizão com outros grupos da oposição. Após um início arrassador nas pesquisas, o veterano político tem perdido espaço e já se vê em empate técnico com seu principal rival nas primárias.

- Ernesto Talvi: O economista criou em meados de 2018 o Setor Cidadão, ala com a qual se apresentou como pré-candidato do histórico partido da direita uruguaia. O que, a princípio, parecia uma iniciativa sem sucesso, com o tempo foi ganhando o apoio do eleitorado. Hoje, Talvi é quem tem mais chances de tirar Sanguinetti das eleições de outubro.

- José Amorín Batlle: Parente de líderes históricos do Partido Colorado, ex-senador, ex-deputado e ex-ministro de Educação e Cultura, Battle está em terceiro lugar nas pesquisas, mas longe dos dois primeiros.

.

4) O Partido da Gente vive uma primária desigual. Edgardo Novick, fundador da legenda em 2016, é quem desponta como o próximo candidato à presidência. Fernando Carrotta, que criou neste ano uma ala para enfrentar Novick, não tem conseguido muito apoio interno. EFE

Mais Internacional