Lucro trimestral da Philips aumenta, mas Europa apresenta obstáculos no futuro

AMSTERDÃ (Reuters) - A empresa holandesa e tecnologia de saúde e serviços Philips divulgou alta de 14 por cento no lucro principal para o terceiro trimestre e uma forte carteira de pedidos, fazendo com suas ações atingirem máxima desde abril do ano passado.

O lucro ajustado da Philips antes de juros, impostos e amortização (Ebita, na sigla em inglês) subiu para 649 milhões de euros, ante 570 milhões no mesmo período de 2015.

O Ebita ajustado ficou pouco abaixo da estimativa de uma pesquisa da Reuters de 651 milhões de euros, mas os analistas se animaram com a melhora das margens.

A Philips está tentando se transformar em empresa do setor de saúde após a cisão de seu negócio de iluminação em maio. O presidente-executivo Frans Van Houten disse que espera melhora nos lucros no quarto trimestre, mas alertou para a continuidade da volatilidade na Europa.

"Precisamos ser realistas de que a Europa enfrentará nos próximos trimestres, pelo menos um período de incertezas, por causa do Brexit, mas também pelos potenciais resultados das eleições europeias", disse Van Houten a repórteres.

Mas a Europa responde por menos de 25 por cento das vendas da Philips. "Se continuarmos a ter boa performance nos Estados Unidos e na China, então certamente poderemos enfrentar algumas flutuações na Europa e ainda fazer com a empresa crescer".

(Por Toby Sterling)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos