Rússia e China vetam no Conselho de Segurança da ONU proposta de trégua em Aleppo

Por Michelle Nichols

NAÇÕES UNIDAS (Reuters) - A Rússia e a China vetaram nesta segunda-feira uma resolução do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas que exigia uma trégua de sete dias em Aleppo, com os russos argumentando que isso permitiria que rebeldes se reagrupassem, e que tempo era necessário para negociações entre Washington e Moscou.

Essa foi a sexta vez que a Rússia vetou uma resolução do Conselho de Segurança sobre a Síria desde o início do conflito em 2011 e a quinta vez que a China bloqueia uma ação. A Venezuela também votou contra o texto elaborado por Nova Zelândia, Egito e Espanha, enquanto Angola se absteve. Os demais 11 países votaram a favor.

"Esses tipos de pausa têm sido usadas pelos combatentes para reforçar munição e fortalecer posições, e isso vai somente piorar o sofrimento de civis”, afirmou o embaixador russo nas Nações Unidas, Vitaly Churkin, sobre a proposta de trégua.

A ONU afirma que mais de 200 mil pessoas podem ainda estar retidas em áreas rebeldes em Aleppo, que são atingidas por sérios desabastecimentos de comida e falta de ajuda.

A Rússia afirmou nesta segunda-feira que iniciaria negociações com Washington sobre uma retirada da oposição de Aleppo nesta semana, ao mesmo tempo que forças sírias, com o apoio russo, lutam para tomar mais territórios dos rebeldes, que enfrentam dificuldades para evitar uma grande derrota.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos