ANÁLISE-Empresas desconhecidas do Vale do Silício podem impulsionar mercado de IPOs dos EUA em 2017

Por Liana B. Baker e Heather Somerville e Lauren Hirsch

(Reuters) - A companhia de mídia social Snap Inc pode realizar a maior oferta pública inicial de ações (IPO) de uma empresa de tecnologia nos Estados Unidos em 2017, com potencial de levantar bilhões de dólares.

Mas mais que uma dúzia de aguardadas ofertas de ações de companhias de software relativamente obscuras e voltadas a clientes corporativos podem ser igualmente importantes para descongelar o mercado de IPOs norte-americano, afirmam executivos de bancos de investimento e assessores que trabalham nestas operações. As empresas incluem nomes pouco conhecidos como Apttus, Tintri e Okta.

Tais empresas são um "indicador antecedente" da demanda mais ampla dos investidores por estreantes no mercado, disse Justin Smolkin, diretor de mercados de capitais para empresas de tecnologia no UBS.

"Elas tendem a ser vistas como a cereja do bolo e são onde os investidores fazem mais dinheiro", disse ele.

Tais empresas de software corporativo geralmente vendem seus serviços por meio de assinaturas que produzem fontes de receita previsíveis. Elas têm como meta obterem contratos de vários anos, o que dá aos investidores retornos mais mensuráveis que empresas de Internet voltadas ao consumidor final e que dependem de receita de publicidade ou de altos volumes de transações dos usuários.

As empresas oferecem uma gama de serviços internos, tais como a automatização de processos de negócios, segurança, contabilidade, software de treinamento e gerenciamento de despesas.

Apesar de tais companhias terem valores moderados, entre cerca de 500 milhões e 4 bilhões de dólares, o setor representa a maior parte do mercado de IPOs de tecnologia dos Estados Unidos, disse Will Connolly, do Goldman Sachs.

A Reuters identificou mais de uma dúzia de companhias de software corporativo que estão se preparando para lançarem IPOs em 2017, incluindo nomes como Avalara, MuleSoft, ForeScout Technologies, AppDynamics e Yext.

Em 2016, apenas seis empresas de software abriram capital, segundo dados da Thomson Reuters.

"É importante para todos que estas operações sejam bem sucedidas para criarmos um sentimento positivo para o ano", disse Anthony Kontoleon, diretor do Credit Suisse.

Se os IPOs de tecnologia nos EUA não decolarem em 2017, alguns gestores de fundos de investimento de risco podem enfrentar dificuldades para manter seus clientes satisfeitos. Além disso, empresas iniciantes de tecnologia que atraíram e reteram funcionários talentosos com a promessa de um IPO lucrativo também podem enfrentar problemas.

As poucas empresas de tecnologia que conseguiram fazer IPOs perto do final de 2016 têm mostrado boas performances nas ações. Twilio, Coupa Software, Nutanix e Blackline já estão vendo os preços de suas ações sendo negociados acima dos valores de suas ofertas, o que tem impulsionado a confiança sobre novos IPOs.

"O grande benefício do IPO é a transparência que ele cria. Dá um senso muito maior de legitimidade", disse Rob Bernshteyn, presidente-executivo da Coupa Software, uma companhia de tecnologia especializada em gestão de gastos que abriu capital em outubro.

Enquanto isso, Dheeraj Pandey, presidente-executivo da Nutanix, afirmou que acredita que o IPO ajudou a companhia de software para computação em nuvem a ganhar novas empresas clientes. "Os clientes querem saber se você vai continuar existindo por um longo tempo", disse Pandey.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos