Autoridade do governo chinês processa em NY magnata exilado Guo Wengui por difamação

PEQUIM (Reuters) - Uma vice-ministra do governo chinês processou em 10 milhões de dólares o controverso bilionário exilado, Guo Wengui, por difamação em uma corte de Nova York, após declarações do magnata de que ela teria se envolvido em corrupção e concedido favores sexuais.

Huang Yan, vice-ministra de moradia e desenvolvimento urbano-rural da China, entrou com a ação judicial junto à Suprema Corte de Nova York na quarta-feira, dizendo que as declarações "falsas e indignas" do bilionário, feitas em um vídeo publicado no YouTube em maio, a causaram severo estresse emocional e "angústia mental".

Uma cópia do documento foi obtida pela Reuters. É o primeiro caso judicial aberto por uma autoridade do governo chinês desde que Guo começou a fazer acusações de corrupção em alto nível no Partido Comunista, sendo extremamente raro um membro sênior do governo buscar ação judicial contra um indivíduo no exterior.

O processo aberto por Huang diz que Guo, também conhecido como Miles Kwok, falsamente alegou que ela teria ajudado incorporadores imobiliários a garantir a aprovação de projetos ao fornecer favores sexuais a uma autoridade do governo chinês, e em troca teria recebido propriedades que a beneficiaram.

"Guo alegou falsamente e repetidas vezes que Huang engajou em várias ações nefastas, incluindo, mas não somente: escândalos sexuais e corrupção", informou a denúncia, acrescentando que as declarações do bilionário comprometeram a reputação da vice-ministra e fizeram muitos "duvidarem de suas capacidades como profissional e autoridade do governo".

(Por Philip Wen)

(Por Gabriela Mello)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos