Cade aprova sem restrições saída da Pfizer do Laboratório Teuto

Por Gabriela Mello

SÃO PAULO (Reuters) - A superintendência-geral Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou sem restrições a venda e transferência da participação de 40 por cento que a Pfizer detém no Laboratório Teuto para membros da família Melo, fundadora do grupo farmacêutico brasileiro, segundo despacho publicado no Diário Oficial da União desta segunda-feira.

"A operação não resulta em qualquer sobreposição horizontal ou integração vertical, nem mesmo reforço das mesmas, uma vez que representa o desfazimento da sociedade entre a Pfizer e o Teuto, tampouco em preocupações de natureza concorrencial", informa parecer divulgado no site do Cade.

Em 4 de julho, a Reuters noticiou que a Pfizer cederia sua fatia no Laboratório Teuto adquirida sete anos atrás por 240 milhões de dólares, pelo valor simbólico de 1 real, depois de não encontrar um comprador para a sua participação.

Na época, o acordo foi confirmado pelas partes, mas os detalhes financeiros da operação não foram divulgados.

Procurada, a Teuto disse nesta segunda-feira que os termos da transação não serão divulgados. A produtora de medicamentos genéricos informou que obteve crescimento de 30 por cento na receita e registrou lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de 81 milhões de reais no primeiro semestre de 2017.

Em nota, a Pfizer afirmou que a decisão de transferir sua participação de 40 por cento na Teuto à família Melo está alinhada à "meta de concentrar esforços e recursos em seu atual portfólio de medicamentos, bem como produtos em desenvolvimento".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos