Suprimento norte-americano de armamento leva Kiev a usar força no leste da Ucrânia

MOSCOU (Reuters) - A decisão dos EUA de fornecer armas à Ucrânia é perigosa, pois incentivará Kiev a usar a força no leste da Ucrânia, disseram autoridades russas no sábado.

O Departamento de Estado dos EUA disse na sexta-feira que os Estados Unidos forneceriam à Ucrânia "capacidades defensivas aprimoradas", uma vez que Kiev luta com os separatistas apoiados pela Rússia na parte leste do país.

Os suprimentos de armas agora incentivam aqueles que apoiam o conflito na Ucrânia a usar o "cenário de força", disse a agência de notícias russa RIA, citando o vice-ministro das Relações Exteriores, Grigory Karasin, no sábado.

Franz Klintsevich, membro da Câmara Alta do comitê de segurança do parlamento, disse que Kiev consideraria o fornecimento de armas como suporte de suas ações, informou a agência de notícias Interfax.

"Os americanos, de fato, empurram diretamente as forças ucranianas para a guerra", disse Klintsevich.

Após a anexação de Crimea em Moscou em 2014, a Ucrânia e a Rússia estão em desacordo com uma guerra no leste da Ucrânia entre os separatistas pró-russos e as forças do governo ucraniano que mataram mais de 10 mil pessoas em três anos.

Kiev acusa Moscou de enviar tropas e armas pesadas para a região, o que a Rússia nega.

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia disse que a decisão dos EUA mais uma vez mina os acordos de Minsk, informou a agência de notícias estatal TASS no sábado.

Os acordos de Minsk destinados a acabar com a luta na Ucrânia foram assinados pela Ucrânia, Rússia, Alemanha e França na capital da Bielorrússia no início de 2015.

(Por Andrey Ostroukh)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos