Topo

Corte determina que "contador de Auschwitz" de 96 anos deve ser preso

Philipp Schulze/AP
Ex-guarda nazista Oskar Groening durante julgamento em Lueneburg, na Alemanha, em 2015 Imagem: Philipp Schulze/AP

Thomas Escritt

Em Berlim

29/12/2017 12h32

A corte constitucional da Alemanha decidiu que um alemão de 96 anos deve ser preso devido à sua participação nos assassinatos em massa cometidos no campo de extermínio nazista de Auschwitz durante a Segunda Guerra Mundial, se recusando a reverter a determinação de uma instância inferior.

Oskar Groening, conhecido como "contador de Auschwitz" por ter se encarregado de contar o dinheiro apreendido das vítimas do campo, foi condenado a quatro anos de prisão em 2015, mas discussões a respeito de sua saúde e idade adiaram o início do cumprimento de sua pena.

A corte constitucional rejeitou o argumento dos advogados de Groening de que o aprisionamento em uma idade tão avançada violaria seu direito à vida, acrescentando que a gravidade de seus crimes faz com que haja uma necessidade especial de vê-lo punido.

"O requerente foi considerado culpado de ser cúmplice de assassinato em 300 mil casos relacionados, o que significa que existe uma importância especial de se cumprir a sentença que o Estado exigiu", escreveram os juízes, mantendo a decisão da corte regional de Celle.

Não é possível apelar ao veredicto da corte constitucional, que entretanto deixa em aberto a possibilidade de libertar Groening se sua saúde se deteriorar.

Em uma batalha jurídica vista como um dos últimos julgamentos do Holocausto, procuradores disseram em 2015 que, embora o próprio Groening não tenha matado ninguém quando trabalhava em Auschwitz, ele ajudou a apoiar o regime responsável pelos assassinatos em massa organizando o dinheiro apreendido dos judeus que chegavam ao campo.

Cerca de 6 milhões de judeus foram assassinados durante o Holocausto, sob o comando de Adolf Hitler.