Draghi: Declarações dos EUA sobre "dólar fraco" levantam dúvidas sobre política monetária

Por Balazs Koranyi e Francesco Canepa

FRANKFURT (Reuters) - O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, alertou nesta quinta-feira que uma valorização do euro é fonte de incerteza e disse que o banco pode ter que rever sua estratégia se os comentários dos Estados Unidos sobre um dólar fraco levarem a uma mudança nas condições monetárias.

O BCE decidiu manter sua política de afrouxamento monetário nesta quinta-feira, e agora Draghi enfrentará a difícil e potencialmente prejudicial alta do euro ante o dólar.

Investidores aguardavam ansiosamente os comentários de Draghi sobre o euro, depois que os diretores do Banco Central Europeu mantiveram a taxa de juros e a sinalização de cenário inalterados, em especial depois que o secretário do Tesouro dos EUA, Steve Mnuchin, falou na véspera sobre os benefícios de um dólar fraco.

Isso levou o euro a uma alta para as máximas em três anos, ameaçando a política do banco europeu de puxar a inflação para cima na zona do euro.

Indagado em uma entrevista coletiva sobre as perspectivas de uma guerra cambial global, Draghi reafirmou a política do banco de não mirar uma taxa de câmbio.

"Se tudo isso levar a um indesejado aperto em nossa política monetária... então teremos que pensar sobre nossa estratégia de política monetária", disse Draghi, citando que vários diretores do BCE expressaram preocupação.

O euro chegou a avançar 0,8 por cento, para 1,2515 dólar e os rendimentos da maioria dos títulos públicos da zona do euro subiram.

Mesmo que a economia da zona do euro melhore, um euro mais forte ameaça segurar a inflação e coloca em risco o trabalho feito em anos de estímulos, provavelmente forçando Draghi a jogar "água fria" sobre as expectativas crescentes de que o BCE está a caminho de elevar as taxas de juros.

Em uma decisão amplamente esperada, o BCE manteve sua principal taxa de juros no campo negativo, voltou a prometer que segurará as taxas para além do término da compra de bônus e se comprometeu a continuar com o programa de compra de ativos até uma recuperação sustentada da inflação.

O BCE espera que as "as taxas de juros permaneçam nos níveis atuais por um longo período de tempo, e bem além do horizonte das compras líquidas de ativos", informou a instituição em um comunicado.

Tendo comprado mais de 2 trilhões de euros em títulos nos últimos três anos, o BCE reduziu quase sozinho os custos de empréstimos na zona do euro para dar início ao crescimento da economia e elevar os preços.

A inflação segue distante da meta do BCE, de 2 por cento, então Draghi dificilmente pode enfrentar grande volatilidade da moeda.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos