Separatistas iemenitas tomam Áden e governo é confinado em palácio, dizem moradores

ÁDEN (Reuters) - Separatistas do sul do Iêmen tomaram controle da cidade portuária de Áden após dois dias de confrontos, disseram moradores nesta terça-feira, confinando o governo internacionalmente reconhecido do presidente Abd-Rabbu Mansour Hadi no palácio presidencial.

Confrontos entre separatistas do sul, apoiados pelos Emirados Árabes Unidos, contra forças leais ao presidente Hadi, sediado na Arábia Saudita, arriscam paralisar a campanha contra o movimento houthi, alinhado com o Irã, no norte do Iêmen.

Os Emirados Árabes Unidos são um importante componente de uma coalizão militar liderada pela Arábia Saudita de Estados árabes que apoiaram o governo de Hadi desde que os houthis tomaram grande parte do país, incluindo a capital Sanaa, há três anos. O governo de Hadi opera em Áden, embora ele more na Arábia Saudita.

Moradores disseram que forças leais ao Conselho de Transição do Sul (STC), formado no ano passado para buscar o renascimento do ex-Estado independente do Iêmen do Sul, tomaram o último reduto das Forças de Proteção Presidencial de Hadi, na área de Dar Saad, no norte de Áden, em confrontos que em alguns momentos envolveram artilharia pesada e tiros de tanques.

Ativistas compartilharam fotos nas redes sociais da bandeira do ex-Estado independente do Iêmen do Sul colocada sobre o portão da base. O Iêmen do Sul foi unido ao Iêmen do Norte em 1990.

Moradores de Áden disseram que combatentes do STC haviam anteriormente tomado postos das Forças de Proteção Presidencial nos distritos de Crater e Tawahi, na área central de Áden.

(Por Muhammed Mukhashaf)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos