PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Após ação de Bolsonaro, Fux elogia Moraes por atuação em inquérito das Fake News

18/05/2022 12h36

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, elogiou nesta quarta-feira o ministro Alexandre de Moraes por sua atuação à frente do inquérito das Fake News, que tramita na corte, um dia depois de o presidente Jair Bolsonaro entrar com notícia-crime no STF contra Moraes sob alegação de que ele teria cometido abuso de autoridade.

Em evento de assinatura de acordo de cooperação no combate à desinformação, Fux não citou Bolsonaro ou a decisão do presidente de mover notícia-crime contra Moraes, mas disse que o colega atua à frente do inquérito com seriedade e competência.

"Desde 2019, nas gestões que já se passaram, também o ministro Dias Toffoli, para enfrentar não só desinformação, mas digamos assim verdadeiros ataques ao STF, ele instaurou aqui o inquérito que esteve e está em ótimas mãos, na relatoria do ministro Alexandre de Moraes, que tem conduzido os trabalhos com extrema seriedade e competência que aqui reconheço de público, ministro Alexandre de Moraes", disse Fux ao colega, que também estava no evento.

O presidente do STF afirmou ainda que o trabalho do inquérito revelou "notícias de atos preparatórios de terrorismo" contra o Supremo, destacando que eles visavam a impelir a corte a se "espojar da sua maior característica que é a independência judicial".

Na véspera, Bolsonaro entrou com notícia-crime contra Moraes, alegando que o ministro conduz uma "injustificada investigação" no inquérito das Fake News, que tem o presidente como um dos investigados, "quer pelo seu exagerado prazo, quer pela ausência de fato ilícito".

Moraes, que é atual vice-presidente do TSE e que comandará a corte eleitoral nas eleições de outubro, não discursou no evento. Ele sentou-se ao lado de Fux e do presidente do TSE, Luiz Edson Fachin, na solenidade.

ELEIÇÕES LIMPAS

Fachin, por sua vez, disse que as eleições gerais de outubro ocorrerão de modo seguro, limpo e dentro da legalidade constitucional.

Durante o evento, o presidente do TSE também afirmou que atacar o STF é agredir instituições do Estado Democrático de Direito.

Ao exaltar o programa de combate à desinformação das cortes, Fachin disse se tratar de uma iniciativa de defesa da democracia que, disse ele, está sendo desafiada pela "cultura da falácia". Na avaliação de Fachin, o programa vem "na hora devida".

Bolsonaro tem atacado o STF e o TSE e levantado suspeitas sobre o sistema eletrônico de votação sem apresentar quaisquer evidências. Nesta semana, o presidente também disse em discurso a empresários que as eleições deste ano, quando ele tentará a reeleição, podem ser "conturbadas".

Bolsonaro aparece em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto para a Presidência da República, atrás do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e os levantamentos também apontam que o petista venceria o presidente em um eventual segundo turno.