PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Polícia procura atirador que matou 6 pessoas em desfile de 4 de Julho em subúrbio de Chicago

04/07/2022 13h32

Por Eric Cox e Brendan O'Brien

HIGHLAND PARK, Estados Unidos (Reuters) - A polícia identificou o atirador que abriu fogo contra um desfile comemorativo pelo feriado de 4 de Julho, matando 6 pessoas e ferindo várias outras, em Highland Park, um rico subúrbio de Chicago, transformando uma exibição cívica de patriotismo no Dia da Independência dos Estados Unidos em uma cena de caos e pânico.

A polícia estava procurando por Robert E. Crimo III, de 22 anos, que consideram armado e perigoso.

Autoridades disseram que um rifle foi recuperado no local. Pelo menos 25 pessoas foram baleadas com idades entre 8 e 85 anos, disseram médicos.

O ataque acontece num momento em que episódios de violência com armas de fogo estão frescos nas memórias dos norte-americanos, depois de um massacre no dia 24 de maio matar 19 crianças em uma escola e duas professoras em Uvalde, no Texas, e do ataque de 14 de maio que matou 10 pessoas em um mercado em Buffalo, no Estado de Nova York.

O presidente Joe Biden disse que ele e sua esposa Jill ficaram "chocados com a violência armada sem sentido que mais uma vez trouxe tristeza a uma comunidade americana neste Dia da Independência".

Biden afirmou ter acionado agentes federais "para ajudar na busca urgente pelo atirador".

Em sua declaração, Biden se referiu à legislação bipartidária de reforma de armas que ele sancionou recentemente, mas disse que muito mais precisa ser feito e acrescentou: "Não vou desistir de lutar contra a epidemia de violência armada".

Crianças acenando bandeiras norte-americanas, andando de triciclo ou desfrutando de um passeio em uma carroça puxada por adultos congelaram enquanto pessoas na multidão gritavam ao som dos disparos, de acordo com um vídeo postado nas redes sociais.

A testemunha Amarani Garcia, que estava no desfile com sua filha pequena, disse à afiliada local da ABC que ouviu tiros nas proximidades, depois uma pausa para o que ela suspeitava ser o atirador recarregando, e depois mais tiros novamente.

Havia "pessoas gritando e correndo. Foi realmente traumatizante", disse Garcia. "Eu estava muito apavorada. Eu me escondi com minha filha em uma lojinha. Isso só me faz sentir que não estamos mais seguros."

Um vídeo nas redes sociais mostrou uma banda que estava marchando no desfile de repente saindo da formação e fugindo, e outras imagens de pessoas deixando seus pertences para trás enquanto buscavam segurança.

"Todo mundo estava correndo, se escondendo e gritando", disse a produtora digital da CBS 2 Elyssa Kaufman, que estava no local, de acordo com o site da emissora.

A população de Highland Park é de 30.000 habitantes e quase 90% de brancos, de acordo com o Departamento do Censo dos EUA. Cerca de um terço da população é judia, de acordo com a Agência Telegráfica Judaica.

Pelo menos um dos mortos era mexicano, disse uma autoridade graduada do Ministério das Relações Exteriores mexicano no Twitter.

O ataque provavelmente reacenderá o debate nos EUA sobre o controle de armas e se medidas mais rígidas podem evitar tiroteios em massa que acontecem com tanta frequência nos Estados Unidos.