COP-28 é rara oportunidade para protestos por palestinos e ação climática

Por Alexander Cornwell

DUBAI (Reuters) - Mais de 100 ativistas no Dubai Expo City, onde está sendo realizada a COP-28, cúpula climática da ONU, este ano, participaram de um protesto neste domingo para pedir por um cessar-fogo na guerra entre Israel e Hamas em Gaza.

Protestos são incomuns nos Emirados Árabes Unidos, onde a liberdade de expressão é limitada, mas como anfitriões da conferência anual da ONU, o país árabe está permitindo que manifestações ocorram na própria COP-28.

Segurando faixas pedindo “cessar-fogo” e “descolonização climática”, ativistas também gritavam “Palestina Livre”.

"Estamos buscando o fim do cerco, o fim da ocupação", disse o palestino-americano Tariq Luthun à Reuters depois de participar de uma manifestação anterior, menor, pedindo por um cessar-fogo.

Jacob Maurice Johns, um ativista indígena da América do Norte, disse que as vozes palestinas estavam sendo silenciadas e precisavam que o mundo se solidarizasse com elas.

Num comunicado divulgado no domingo na COP-28, o Cônsul Geral de Israel, Liron Zaslanaky, disse que o seu país luta em legítima defesa e faz o melhor que pode para evitar ferir civis.

Israel diz que homens armados do Hamas mataram cerca de 1.200 israelenses e estrangeiros e fizeram cerca de 240 reféns depois que invadiram o sul de Israel em 7 de outubro. Autoridades de saúde de Gaza dizem que mais de 15 mil palestinos foram mortos pelos subsequentes bombardeios e invasão israelense do enclave costeiro.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes