Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.uol.com.br/album/2013/08/12/conheca-melgaco-no-para-a-cidade-com-o-pior-idh-do-brasil.htm
  • totalImagens: 51
  • fotoInicial: 17
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20130812082344
    • Melgaço [72783]; Pará [5296]; Norte [53621];
    • IDH [13634];
Fotos
A casa onde mora Maria Duarte, 5, é suspensa por palafitas que ficam sobre um lixão informal no centro da cidade de Melgaço (a cerca de 300 km de Belém). Com uma população de quase 25 mil habitantes, o município, no arquipélago de Marajó, tem o pior IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) do país, com 0,418, figurando na faixa de cidades com muito pouco desenvolvimento humano Alex Almeida/UOL Mais
A aposentada Maria Izabel, 70, tem 60 netos e 14 filhos. Ela divide uma casa sobre palafitas com dois dos filhos e oito dos netos, em uma comunidade ribeirinha da cidade de Melgaço (a cerca de 300 km de Belém). Com uma população de quase 25 mil habitantes, o município, no Arquipélago de Marajó, tem o pior IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) do país, com 0,418, figurando na faixa de cidades com muito pouco desenvolvimento humano Alex Almeida/UOL Mais
A menina Nalanda Costa, 9, passeia com porco de estimação na cidade de Melgaço (a cerca de 300 km de Belém). Com uma população de quase 25 mil habitantes, o município, no arquipélago de Marajó, tem o pior IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) do país, com 0,418, figurando na faixa de cidades com muito pouco desenvolvimento humano Alex Almeida/UOL Mais
A menina Nalanda Costa, 9, brinca com irmãos e amigos em frente à casa onde mora, na região da Moconha, ao lado do principal porto e porta de entrada para Melgaço (a cerca de 300 km de Belém). Com uma população de quase 25 mil habitantes, o município, no Arquipélago de Marajó, tem o pior IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) do país, com 0,418, figurando na faixa de cidades com muito pouco desenvolvimento humano Alex Almeida/UOL Mais
Mulher limpa peixes sentada em tábuas em frente à casa onde mora, em Melgaço (a cerca de 300 km de Belém). Moradores de região ribeirinha que vivem sem acesso a saneamento básico ou a energia elétrica, contam que gastam cerca de R$ 300 para puxar eletricidade clandestinamente de postes mais próximos. A cidade tem o pior IDH municipal do Brasil Alex Almeida/UOL Mais
Crianças fazem lição deitadas em sala de aula do 4º ano do ensino fundamental, na escola José Maria Rodrigues Viegas Júnior, em Melgaço (a cerca de 300 km de Belém). Indagada pela reportagem do UOL se faltam cadeiras, uma funcionária da escola alegou que deitados os alunos não passariam tanto calor. O município possui ainda mais três escolas na área urbana, além de outras espalhadas em áreas rurais Alex Almeida/UOL Mais
Menino pesca em área de esgoto da cidade de Melgaço (a cerca de 300 km de Belém). Ele diz que os peixes que retira d'água fazem parte da sua alimentação cotidiana. Com uma população de quase 25 mil habitantes, o município, no Arquipélago de Marajó, tem o pior IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) do país, com 0,418, figurando na faixa de cidades com muito pouco desenvolvimento humano Alex Almeida/UOL Mais
Menino toma banho em área de esgoto no bairro central da cidade de Melgaço (a cerca de 300 km de Belém). Apesar de ser o município com o pior IDH do Brasil, a cidade vem obtendo melhoras em alguns índices, como mortalidade infantil e expectativa de vida Alex Almeida/UOL Mais
Rodrigo Machado, 10, acaricia filhote de macaco-aranha que resgatou no chão de um açaizal na cidade de Melgaço (a cerca de 300 km de Belém). Com uma população de quase 25 mil habitantes, o município, no Arquipélago de Marajó, tem o pior IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) do país, com 0,418, figurando na faixa de cidades com muito baixo desenvolvimento humano Alex Almeida/UOL Mais
Melgaço (a cerca de 300 km de Belém) tem várias igrejas de diversas vertentes espalhadas por suas áreas rurais. De acordo com moradores, o município possui mais templos evangélicos do que igrejas católicas. Com uma população de quase 25 mil habitantes, o município, no Arquipélago de Marajó, tem o pior IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) do país, com 0,418, figurando na faixa de cidades com muito pouco desenvolvimento humano Alex Almeida/UOL Mais
Menino recolhe açaí em área de floresta da cidade de Melgaço (a cerca de 300 km de Belém). Misturado geralmente à farinha, o fruto constitui a base da alimentação das famílias da região. Com uma população de quase 25 mil habitantes, o município, no Arquipélago de Marajó, tem o pior IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) do país, com 0,418, figurando na faixa de cidades com muito pouco desenvolvimento humano. A economia do município provém basicamente da vida na floresta, com colheita do açaí, pesca e extrativismo Alex Almeida/UOL Mais
Moradora de Melgaço (a cerca de 300 km de Belém), Rosa Lobato é fotografada com os filhos dela em frente à casa onde mora, em uma região ribeirinha da cidade. A família mantém o sustento com a venda de açaí e de peixe, além de contribuição que recebe do programa federal Bolsa Família Alex Almeida/UOL Mais
Lixão irregular se formou em bairro da área urbana de Melgaço (a cerca de 300 km de Belém). Moradores com frequência reclamam que seus filhos sofrem com diarreia e doenças causadas insalubridade do local e pelo consumo de água sem tratamento. Melgaço, situada a menos de 100 km da maior bacia hidrográfica do planeta, a do rio Amazonas, tem qualidade de água em estado crítico e o pior IDH do Brasil Alex Almeida/UOL Mais
Moradora de Melgaço (a cerca de 300 km de Belém), Marlete Oliveira Gonçalvez, 25, possui uma padaria no bairro Nova Aliança. Ela também é assistida pelo programa Bolsa Família, do governo federal, do qual recebe mensalmente R$ 220 Alex Almeida/UOL Mais
Com a maior parte da população (77,82%) vivendo em áreas rurais, no geral ribeirinhas, as habitações da cidade de Melgaço (a cerca de 300 km de Belém) ficam sobre palafitas. Com uma população de quase 25 mil habitantes, o município, no arquipélago de Marajó, tem o pior IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) do país, com 0,418, figurando na faixa de cidades com muito pouco desenvolvimento humano Alex Almeida/UOL Mais
Menino brinca com réptil sobre a cabeça na cidade de Melgaço (a cerca de 300 km de Belém). Com uma população de quase 25 mil habitantes, o município, no arquipélago de Marajó, tem o pior IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) do país, com 0,418, figurando na faixa de cidades com muito pouco desenvolvimento humano Alex Almeida/UOL Mais
Crianças manuseiam ostras na praia do Jambeiro, principal centro de entretenimento e atividades de lazer em Melgaço (a cerca de 300 km de Belém), a cidade com pior IDH do país Alex Almeida/UOL Mais
Em Melgaço (a cerca de 300 km de Belém), esgoto a céu aberto é uma cena frequente. Estima-se que 80% das moradias do município não tenham qualquer tipo de tratamento de esgoto Alex Almeida/UOL Mais
Casal repousa em banco na área urbana de Melgaço (a cerca de 300 km de Belém). Com uma população de quase 25 mil habitantes, o município, no Arquipélago de Marajó, tem o pior IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) do país, com 0,418, figurando na faixa de cidades com muito pouco desenvolvimento humano Alex Almeida/UOL Mais
Moradora de Melgaço (a cerca de 300 km de Belém) estende roupas em varal. Com uma população de quase 25 mil habitantes, o município, no arquipélago de Marajó, tem o pior IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) do país, com 0,418, figurando na faixa de cidades com muito pouco desenvolvimento humano Alex Almeida/UOL Mais
A antiga sede da prefeitura, no bairro central do município, é a mais completa tradução do abandono que enfrenta a cidade de Melgaço, no Pará Alex Almeida/UOL Mais
Eliel Soares (à esquerda) e seu sócio vivem da exploração do açaí, principal fonte de renda e base da alimentação dos moradores locais. Cada balde é vendido por R$ 5, em média. O produto é levado até comunidades ribeirinhas mais distantes Alex Almeida/UOL Mais
Sem muitas opções de lazer na cidade como parques e praças, meninos brincam no tradicional encontro de fim de tarde da cidade: a "praia do Jambeiro" Alex Almeida/UOL Mais
Maria Lucileine, 22 anos, com os filhos Leandro, 7, Isaqueu (5) e Vitória (1) em sua casa. Moradora do bairro do Tucumã, ela é assistida pelo programa do governo federal Bolsa Família. A família vive com água sem tratamento e usa eletricidade improvisada por "rabichos" Alex Almeida/UOL Mais
Crianças brincam em rua de terra no bairro Tucumã, em Melgaço. Há falta de atendimento básico de saúde às crianças na cidade Alex Almeida/UOL Mais
Sem roupas e com uma televisão ligada ao fundo, garoto observa movimento dentro de casa em uma comunidade ribeirinha na cidade de Melgaço, no Pará Alex Almeida/UOL Mais
Central de energia elétrica no bairro Tucumã, de onde são puxados fios que levam força até os barracos. Moradores dizem que a prefeitura apenas disponibiliza essa fonte, ficando por parte de cada um a compra de fios e equipamentos para levar a energia, que é inconstante, até as casas Alex Almeida/UOL Mais
Mulheres conversam em trapiches de madeira em comunidade ribeirinha de Melgaço, no Pará, sob pouca ou quase nenhuma iluminação Alex Almeida/UOL Mais
Sem acesso a transporte público, população se arrisca utilizando meios inadequados, como estas três pessoas e uma criança sobre uma moto. Sobre o alerta de perigo, os moradores dão de ombros: "Não tem Detran e a polícia nunca reclamou" Alex Almeida/UOL Mais
Garoto caminha com papel higiênico nas mãos em direção a um banheiro com fossa. Sem esgoto encanado, instalação é a melhor solução para algumas famílias Alex Almeida/UOL Mais
Crianças ajudam as mães nas tarefas domésticas em casas de palafitas, construídas centímetros acima do solo para evitar inundação na época das cheias Alex Almeida/UOL Mais
O futebol é a principal diversão dos habitantes no município paraense. Campos de terra improvisados estão por todo o arquipélago Alex Almeida/UOL Mais
Os estudantes Caique Santos e Maria Raimunda, ambos de 7 anos, frequentam aulas na escola municipal Getúlio Vargas. No momento em que a reportagem esteve no local, o menino estava descalço Alex Almeida/UOL Mais
Mulher sobre ponte do município, com uma garrafa de cachaça ("barrigudinha") ao lado, observa movimento em Melgaço Alex Almeida/UOL Mais
Passageiros desembarcam de um dos principais meios de transporte para se chegar à cidade de Melgaço, as embarcações coletivas. A viagem leva quase um dia inteiro Alex Almeida/UOL Mais
Palafita ribeirinha no municipio vizinho de Breves (PA), também presente na lista dos municipios paraenses com os menores IDH do Brasil Alex Almeida/UOL Mais
Mulher caminha por passarela de madeira que leva a palafitas na região de Melgaço, no Pará. Isolado, o município só é acessível por via fluvial Alex Almeida/UOL Mais
A pequena Maria Duarte, 5 anos, mora em uma palafita construída sobre um terreno onde funciona um lixão irregular na área central de Melgaço Alex Almeida/UOL Mais
O pescador Adelino Araújo, 37 anos, mostra arpão artesanal com o qual obtém o sustento da família pescando tucunaré, peixe nobre na Amazônia brasileira. Carne é presença certa no prato da família e de casas que servem o peixe na região Alex Almeida/UOL Mais
Jovens jogam vôlei no principal ponto de lazer e entretenimento de Melgaco, a "praia do Jambeiro", na área central da cidade Alex Almeida/UOL Mais
Palafita na região da Moconha; segundo a lenda local, é proibido o banho de rio nesta área após o fim de tarde, pois existe ali um "encantado" (espirito que volta à vida) chamado Tupinambá, que lança forte feitiço sobre quem desafiar a ordem. Moradores atribuem como obra do Tupinambá as mortes de crianças por conta de doenças e ingestão de água sem tratamento Alex Almeida/UOL Mais
Meninos retiram açaí em meio a um esgoto a céu aberto, contaminação da água causa diarreias que, em algumas crianças, podem ser fatais Alex Almeida/UOL Mais
Ao cair da noite fica perceptível a falta de serviços básicos, como iluminação, que é precária e não cobre toda a área de Melgaço Alex Almeida/UOL Mais
Crianças brincam em estrada aberta de maneira improvisada, com madeira, perto do porto de entrada para o município Alex Almeida/UOL Mais
Crianças brincam em trapiches que dão vista à baia de Melgaço. Moradores reclamam da ausência de um porto que seja perto da cidade. Hoje a principal porta de entrada está distante 3 km do bairro central Alex Almeida/UOL Mais
Estudantes da escola Getúlio Vargas jogam xadrez durante o recreio, cena que destoa das atividades esportivas mais comuns em Melgaço Alex Almeida/UOL Mais
Estreitas tábuas são vias comuns para o frequente deslocamento entre bairros e casas do município. Passagem improvisada é constante reclamação dos idosos que habitam a região Alex Almeida/UOL Mais
Wiverson Rocha, 11 anos, toca trompete dentro da palafita onde mora, no bairro central da cidade. Por influência do pai, que é músico, ela já toca em banda tradicional da cidade e diz que seu sonho é se igualar a Arturo Sandoval (trompetista e pianista do jazz cubano) e conhecer o apresentador Luciano Huck, da "Rede Globo" Alex Almeida/UOL Mais
Homem compra gasolina em posto oficial da cidade, improvisado em palafita no trapiche central, enquanto o sorveteiro espera o inconstante turismo da região Alex de Almeida/UOL Mais
Criança com filhote de cachorro nas mãos recepciona irmão que chega da escola em barco. Com extensão territorial de 26 mil km², é possível andar 10 horas de barco dentro dos limites do município, cuja população ribeirinha chega a 70% do total Alex Almeida/UOL Mais
Salão de beleza no bairro central de Melgaço cobra entre R$ 3 (corte para criança) e R$ 5 (para adulto). O local funciona também como uma loja de roupas improvisada Alex Almeida/UOL Mais

Conheça Melgaço, no Pará, a cidade com o pior IDH do Brasil

Últimos álbuns de Notícias



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos