Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.uol.com.br/album/bbc/2016/04/25/terremoto-no-nepal-os-pequenos-atos-de-bondade-que-salvaram-vidas.htm
  • totalImagens: 10
  • fotoInicial: 1
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20160425115949
    • Terremoto [22198]; Nepal [5881]; Internacional [35978];
Fotos

O fotógrafo Gideon Mendel passou boa parte de sua carreira documentando temas sociais pelo mundo. Recentemente, ele viajou ao Nepal pela organização Christian Aid para documentar histórias daqueles que ficaram isolados logo depois do terremoto que matou quase 9 mil pessoas no país, há um ano Gideon Mendel / Christian Aid Mais

Laxmi Gurung tem 30 anos e é dona de um pequeno hotel em Baluwa, Gorkha. Ela usou os alimentos de seu empreendimento para cozinhar para os vizinhos. "Quando houve o terremoto, todas as casas foram destruídas. Graças a Deus escapamos da morte. Todo mundo estava com fome. Com todos sofrendo tanto, não pensei duas vezes antes de dar comida a eles. Eu distribuía tudo que eu cozinhava, em pequenas quantidades, para todo mundo." Gideon Mendel / Christian Aid Mais

Chandra Ghale, empregado da construção civil de 32 anos de Baluwa, Gorkha, participou de uma pequena equipe de buscas formada logo após o terremoto. Ele ajudou a organizar a comunidade e distribuir donativos quando eles chegaram. "Estava em casa com meus filhos quando houve um barulho de explosão e o chão começou a tremer. A casa não durou muito. Com uma ou duas sacudidas ela veio abaixo. Não conseguíamos enxergar direito por causa da poeira das casas destruídas." Gideon Mendel / Christian Aid Mais

Indra Kumari estava servindo um cliente na loja de sua família quando o tremor começou. "Depois do terremoto estava chovendo e as pessoas sentaram embaixo de uma lona. Éramos um grupo de mais ou menos 35 pessoas naquele dia. A situação era horrível. Minha família decidiu usar a comida da loja para alimentar todo mundo - macarrão, arroz, óleo, batatas, cebolas, ovos e grãos. Não houve escassez de comida. Por dia, alimentávamos cerca de 72 pessoas." Gideon Mendel / Christian Aid Mais

A casa de Lokbahadur Magar, em Gorkha, desabou e 12 pessoas morreram em seu vilarejo. "Todo mundo estava apavorado. Estava chovendo e estávamos confusos. Só havia duas ou três lonas para abrigar cerca de 40 famílias e elas foram reservadas para mulheres, crianças e idosos. Depois disso a comunidade começou a se organizar. Algumas pessoas começaram a limpar os corpos e prepará-los para o enterro; outros limparam os escombros em busca de alimentos. Eu ajudei a cuidar dos feridos. Todos cozinhávamos, comíamos e morávamos juntos. Foram cerca de três dias até a ajuda externa chegar." Gideon Mendel / Christian Aid Mais

A professora de escola primária Dhan Kumari Magar, de 44 anos, ajudou a resgatar Krishna Thapa, de 28, e seu bebê. "A maioria das casas do vilarejo desabou e muitas pessoas ficaram presas sob os escombros", disse Dhan. "Ajudei a resgatar uma mulher e seu bebê de 6 meses em uma casa próxima. Eles estavam presos sob os escombros e a mulher estava inconsciente. Limpamos os destroços e os retiramos de forma segura, mas quando a mulher acordou ela estava com muita dor. Foi terrível vê-las embaixo da casa destruída." Gideon Mendel / Christian Aid Mais

Manoj Rana, de 20 anos, estava em Katmandu na hora do terremoto. Ele voltou para casa, no pequeno vilarejo rural onde cresceu. "As barracas improvisadas estavam lotadas e bagunçadas. Parecia a Idade da Pedra. Muitos animais estavam mortos e o cheiro era terrível. Eu instruí os jovens a limpar as carcaças sujas pelos destroços e enterrá-los. Então ajudei a montar uma cozinha comunitária. Todo mundo estava com fome àquela altura. Nos primeiros dias, só tínhamos comida para uma refeição por dia. Ficamos muito felizes quando os donativos começaram a chegar." Gideon Mendel / Christian Aid Mais

O vilarejo de Sagar Tamang foi completamente destruído. Ele fazia parte de um pequeno grupo que que ajudou a montar um acampamento temporário para sua comunidade, na periferia de Dhading. "No início fizemos banheiros, importantes para higiene. Então pedimos água potável para as autoridades. Virei o líder do nosso grupo e pedimos ajuda a organizações por cartas. Pessoas do local nos deram lonas e roupas de cama. Um visitante nos deu sete barracas. Depois disso conseguimos dormir melhor." Gideon Mendel / Christian Aid Mais

Bal e Phul Sunar são de Jymarung, em Dhading. "Somos dalits (uma casta baixa), então não ficamos com o resto da comunidade. Em vez disso, fizemos abrigos temporários em um campo próximo, usando materiais das casas destruídas. Depois, recebemos telhados de zinco de um homem de uma casta mais alta. Ele deu quatro telhas para cada família dalit daqui. Ele sabe que somos muito pobres e não temos renda. Outro homem de casta alta da vizinhança nos deu arroz, alho e sal - isso foi uma grande ajuda na época." Gideon Mendel / Christian Aid Mais

Rakesh Lamicchane, de 17 anos, fez parte de um grupo de treinamento para emergências e reagiu rapidamente quando o segundo terremoto ocorreu, em 12 de maio. O grupo de Rakesh levou apenas 40 minutos para limpar os escombros e resgatou Ranjit Bishokarma, de 11 anos (à esquerda na foto) que estava sob os destroços Gideon Mendel / Christian Aid Mais

Terremoto no Nepal: os pequenos atos de bondade que salvaram vidas BBC

Últimos álbuns de Notícias

UOL Cursos Online

Todos os cursos