Topo

CarnaUOL

Anderson Baltar


Enredo do Salgueiro homenageará o primeiro palhaço negro brasileiro

Imagem do enredo do novo Salgueiro, "O Rei Negro do Picadeiro" - Divulgação
Imagem do enredo do novo Salgueiro, "O Rei Negro do Picadeiro" Imagem: Divulgação
Anderson Baltar

Anderson Baltar é jornalista, formado pela UFRJ e tem 42 anos. Com mais de 15 anos de experiência na mídia carnavalesca, foi assessor de imprensa da União da Ilha e Império Serrano, produtor de Carnaval da TV Globo e trabalhou em coberturas de desfiles nas rádios Manchete e Tupi. Desde 2011, é âncora e coordenador da Rádio Arquibancada, web rádio com programação inteiramente voltada para o Carnaval. Em 2015, lançou o livro "As Primas Sapecas do Samba", ao lado dos também jornalistas Eugênio Leal e Vicente Dattoli.

06/05/2019 21h37

Com uma festa em sua quadra neste domingo (05), os Acadêmicos do Salgueiro lançaram o seu enredo para o próximo Carnaval. "O Rei Negro do Picadeiro", a ser desenvolvido pelo carnavalesco Alex de Souza, fará uma homenagem a Benjamin de Oliveira, o primeiro palhaço negro do Brasil e que terá seus 150 anos de nascimento celebrados em 2020. Em evento fechado para convidados e que teve o ator Aílton Graça como mestre de cerimônias, a vermelha e branca da Tijuca transformou sua quadra em picadeiro e empolgou seus componentes.

Palhaço, ator, compositor e cantor, Benjamin de Oliveira, nascido em Pará de Minas (MG) em 11 de junho de 1870, foi o criador do primeiro circo-teatro do país. Sua fama no final do século 19 e início do século 20 era tamanha que o então presidente da República, Floriano Peixoto, foi até o subúrbio carioca de Cascadura para assistir uma apresentação sua.

De acordo com Alex, o enredo do Salgueiro, além de honrar as tradições da escola em destacar personagens negros pouco abordados, tem um compromisso de reforçar um discurso de uma sociedade mais igualitária. "Em um momento em que vivemos, em que querem desmontar a educação e promover tantos retrocessos, é fundamental lembrar a história deste artista genial e pioneiro", destacou o carnavalesco.

O carnavalesco Alex de Souza - Divulgação
O carnavalesco Alex de Souza
Imagem: Divulgação

Para Alex de Souza, o enredo também é importante para dar uma nova roupagem à tradição salgueirense de fazer temas ligados à negritude: "É a figura do negro em um universo visual diferente ao que o Salgueiro está acostumado a fazer. É o circo, o teatro, o espetáculo. E o desdobramento é a importância do negro na dramaturgia brasileira. Marcar ponto contra o racismo e afirmar o Salgueiro como grande porta-voz da negritude no Brasil".

O carnavalesco adiantou que o enredo não será uma mera narração da trajetória artística de Benjamin. E a homenagem é estendida até os dias de hoje, com a lembrança de grandes nomes negros do humor. No vídeo de apresentação exibido na quadra, nomes como os de Mussum, Grande Otelo, Tião Macalé, Marina Miranda e Jorge Lafond foram relembrados, além de atores que ainda estão em atividade como Lázaro Ramos e Hélio de La Peña.

De acordo com Alex de Souza, o público poderá esperar um Salgueiro mais leve e colorido na avenida. "Quero trazer a leveza de desfiles que fiz na União da Ilha. Em meu terceiro Carnaval no Salgueiro, já superei a responsabilidade de substituir o Renato Lage e agora posso dar um pouco mais do meu estilo. Manterei as tradições da escola, mas darei minha assinatura, com mais alegria", explica.

A sinopse do enredo será entregue aos compositores nesta segunda-feira e a inscrição dos sambas será realizada no dia 4 de agosto. A disputa, mais curta, acontecerá por cinco finais de semana, a partir do dia 7 de setembro. A final de samba acontecerá no dia 11 de outubro, data em que tradicionalmente o Salgueiro realiza este evento.