Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.uol.com.br/ciencia/album/2016/01/11/veja-imagens-do-espaco-2016.htm
  • totalImagens: 8
  • fotoInicial: 5
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20160111202041
    • Espaço [30789]; Ciência [45097]; Ciência e Saúde [76752];
Fotos

4.jan.2016 - A sonda espacial Cassini-Huygens tirou uma fotografia do que parecia ser um par de satélites de Saturno, mas na verdade era um trio. A imagem mostra claramente Enceladus (acima dos anéis) e Rhea (abaixo). Porém, de acordo com a Nasa (Agência Espacial Norte-Americana), Atlas também está na foto e pode ser encontrado logo acima e a à esquerda de Rhea. A imagem foi tirada de uma distância de aproximadamente 2,8 milhões de quilômetros de Rhea e 2,1 km de distância de Enceladus, e 2,4 milhões de km de Atlas Divulgação/ Nasa Mais

5.jan.2016 - Foto feita em solo marciano pelo robo Curiosity da duna Namib, de cerca de quatro metros de altura. O robô está realizando estudos das dunas de Marte, que influenciadas pelos ventos do planeta, se movem cerca de um metro por ano terrestre. A foto foi tirada em 17 de dezembro e divulgada pela Nasa nesta segunda (4) Nasa Mais

5.jan.2015 - O robô Curiosity fez uma foto em 360° em que aparecem a duna Namib (esq.) e o monte Sharp (dir.), em Marte. Imagens de satélite mostraram que as dunas de areia negra da região de Bagnold se movem, sopradas pelos ventos do planeta vermelho, cerca de um metro a cada ano terrestre. A foto foi tirada em 18 de dezembro e divulgada pela Nasa nesta segunda (4) Mastcam/Nasa Mais

8.jan.2016 - A galáxia espiral NGC 4845, localizada a mais de 65 milhões de anos-luz de distância, na constelação de Virgem, foi registrada pelo telescópio espacial Hubble, da Nasa (Agência Espacial Norte-Americana). A orientação da galáxia revelou claramente sua estrutura impressionante, formada por um disco achatado, poeira machada e um bojo galáctico brilhante. O centro brilhante da galáxia hospeda um grande buraco negro, conhecido como supermassivo. Os cientistas estudam o comportamento das estrelas próximas ao buraco negro supermassivo para estimar a massa do buraco, que se estima ser centenas de milhares de vezes mais pesado que o Sol Hubble/ Nasa/ ESA/ S. Smartt (Queen's University Belfast) Mais

11.jan.2016 - Um meteoro foi registrado em uma foto no observatório La Silla, do ESO (Observatório Europeu do Sul), no deserto do Atacama, Chile. A fotografia impressionou amantes de astronomia por juntar com perfeição imagens do espaço e da Terra, mostrando as estrelas e o rastro de luz esverdeado do meteoro Geminid, além de montanhas e as cúpulas do observatório. O ESO afirmou que o céu escuro e o ar limpo do Atacama tornam o local ideal para observações astronômicas B. Tafreshi/ ESO Mais

14.jan.2016 - Astrônomos descobriram a supernova mais brilhante já detectada na história do universo. A descoberta foi feita em junho do ano passado pelo ASAS-SN (All Sky Automated Survey for SuperNovae), um sistema de oito pequenos telescópios colocados em dois locais, no Havaí (EUA) e no Chile, capaz de escanear o céu inteiro a cada dois ou três dias. Chamada de ASAS-SN-15lh, a supernova é milhares de vezes mais brilhante do que uma supernova normal e brilha 50 vezes mais do que a Via Láctea. Nas últimas décadas, os astrônomos têm visto surgir uma nova classe rara de explosões, são supernovas superluminosas - as vezes denominada de hipernova Jin Ma/Beijing Planetarium/Science Mais

15.jan.2016 - A galáxia mais luminosa conhecida no Universo - o quasar W2246-0526 ? é tão turbulenta que está ejetando todo o gás existente em seu interior. Os quasares são galáxias distantes que possuem buracos negros supermassivos nos seus centros, os quais libertam jatos poderosos de partículas e radiação. Observações do ESO (Observatório Euroupeu do Sul) indicam que a intensa radiação infravermelha, que intensifica o brilho da W2246-0526, irá fazer desaparecer o gás interestelar da galáxia Dana Berry/SkyWorks/ALMA/ESO Mais

16.jan.2016 - A primeira flor cultivada no espaço é apresentada ao público. Trata-se de uma zínia, cuja foto foi postada no Twitter pelo astronauta Scott Kelly, neste sábado (16). "Primeira flor crescida no espaço faz sua estreia!", publicou Kelly, na rede social. Em novembro, a Nasa já havia anunciado que estava dando início à experiência de cultivar flores no espaço, utilizando lâmpadas LED das cores vermelha, azul e verde, além de água e nutrientes Reprodução/Twitter Mais

Veja imagens do espaço (2016)

ÚLTIMOS ÁLBUNS DE UOL CIÊNCIA

UOL Cursos Online

Todos os cursos