Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.uol.com.br/ciencia/album/2017/12/14/geminideas-cria-show-de-estrelas-cadentes-em-cidades-pelo-mundo.htm
  • totalImagens: 7
  • fotoInicial: 1
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20171214101805
    • Notícias [35976]; Ciência e Saúde [76752]; Astronomia [9158];
Fotos

14.dez.2017 - Chuva de meteoro Geminídeas vista no céu da da vila de Zagorie, a 110 km de Minsk, capital de Belarus. O fenômeno ocorre todos os anos no mês de dezembro, quando a Terra passa pelo rastro empoeirado de detritos rochosos deixado por um objeto chamado 3200 Faetonte Sergei Grits/AP Mais

14.dez.2017 - Céu é iluminado pelas Geminídeas na vila de Zagorie, em Belarus. Quando o pó e os grãos deixados pelo Faetonte encontram com a atmosfera da Terra a 126 mil km por hora e explodem, formando uma chuva de "estrelas cadentes" Sergei Grits/AP Mais

14.dez.2017 - Geminídeas, uma das mais intensas e brilhantes chuvas de meteoro do ano, vista no céu de Krevo, pequena vila de Belarus. A área do céu onde os meteoros surgem, chamada de radiante, está localizada na direção da constelação de Gêmeos, perto da estrela brilhante Castor ou alfa Geminorum Sergei Gapon/AFP Mais

14.dez.2017 - A Organização Internacional de Meteoros informou que este ano o fenômeno pode ser melhor observado devido ao fato de a lua estar minguante, deixando o céu mais escuro que no ano passado, quando a lua estava cheia Sergei Gapon/AFP Mais

14.dez.2017 - Chuva de meteoros das Geminídeas é vista em Passo Fundo (RS), na madrugada desta quinta-feira (14). Espera-se que cerca de 120 meteoros cruzem o céu por hora Diogo Zanatta/Futura Press/Estadão Conteúdo Mais

14.dez.2017 - A chuva de meteoros poderá ser vista a olho nu até o dia 17 de dezembro. A recomendação é que as pessoas observem o céu a partir de locais escuros, de preferência longe da luminosidade das cidades Diogo Zanatta/Futura Press/Estadão Conteúdo Mais

14.dez.2017 - As Geminídeas criaram espetáculo noturno em Passo Fundo (RS). A Nasa (Agência Espacial Americana) informou também que os astrônomos terão a chance de estudar melhor o Faetonte este ano, quando o objeto vai passar o mais perto da Terra desde a sua descoberta em 1983. De acordo com a Organização Internacional de Meteoros, a chuva de meteoros do 3200 Faetonte é uma das únicas chuvas importantes produzidas por asteróides e não por um cometa Diogo Zanatta/Futura Press/Estadão Conteúdo Mais

Geminídeas cria show de "estrelas cadentes" em cidades pelo mundo

ÚLTIMOS ÁLBUNS DE UOL CIÊNCIA

UOL Cursos Online

Todos os cursos