Como o número de tigres aumentou pela primeira vez em 100 anos

  • Jose Cabezas/Reuters

O número de tigres aumentou pela primeira vez em um século, apesar do perigo de extinção que ronda a espécie há muitos anos.

Os conservacionistas do World Wildlife Fund (WWF) calculam que em 1916 existiam cerca de 100 mil tigres em liberdade. Mas o número diminuiu drasticamente ao longo do anos: em 2010, sobravam apenas 3,2 mil.

Já os dados mais recentes dão motivos para otimismo: em 2016 foram contabilizados mais 700 tigres, totalizando 3.890 no censo global mais recente.

"Mais importante que o número total é a tendência (de crescimento), e observamos que ela caminha na direção correta", explica Ginette Hemley, vice-presidente de conservação silvestre da WWF.

Mas a que se deve essa mudança? Os conservacionistas ganharam a batalha?

  • Leia também: As maneiras mais inventivas de evitar impostos desde antes de Cristo
  • Siga a BBC Brasil no Facebook e no Twitter

Mais presas, menos caça

"Os tigres são felinos que se reproduzem bem se contam com suficiente espaço e presas disponíveis - e se os protegemos da caça predatória", disse à BBC a assessora sobre espécies em perigo de extinção da WWF, Heather Sohl.

"Dadas essas circunstâncias, o número de tigres pode aumentar, e temos observado isso em países como Rússia, Índia, Nepal e Butão", disse.

"Na Indonésia, no entanto, as cifras indicam que a população de tigres diminuiu nos últimos anos, já que os bosques estão sendo destruídos para alimentar a demanda mundial de azeite de dendê, polpa e papel".

Os ecologistas garantem que outras causas são os efeitos da mudança climática, que ameaçam as selvas onde vivem os tigres.

Por outro lado, o Camboja está considerando reintroduzir a espécie no seu ecossistema, depois de esta ter sido declarada recentemente "funcionalmente extinta".

A maior população de tigres está na Índia, onde vivem mais da metade de todos os tigres do mundo (2.226, segundo a última contagem). Segundo os especialistas, o número aumentou devido à menor interferência na floresta e à transferência de populações humanas fora do habitat natural dos tigres.

Mas esta última medida envolve uma polêmica.

Briga por espaço

A luta por espaço entre humanos e animais selvagens já causou vários enfrentamentos na Índia nos últimos anos - não somente com tigres, como também com outros animais, como elefantes e leopardos.

A Índia é o segundo país mais populoso do mundo (atrás da China), e a população cresce em torno de 1,2% ao ano. Isso leva ao aumento da urbanização, limitando os habitats naturais do tigre e de outros animais selvagens do país, o que faz com que alguns deles invadam as cidades, desorientados.

Segundo a WWF, os tigres perderam, no total, 93% de seu habitat original.

"Humanos e tigres competem cada vez mais por espaço. O conflito ameaça os tigres que restam no mundo e cria um problema importante para as comunidades que vivem perto dos tigres", adverte WWF.

Os especialistas temem que a diminuição do controle ambiental por parte do governo indiano coloque esses animais em perigo.

"Os últimos números mostram que podemos salvar as espécies e seus habitats quando os governos, as comunidades locais e os conservacionistas fazem um esforço conjunto", diz Marco Lambertini, diretor geral internacional da WWF.

  • Leia também: Como ganhar milhares de dólares buscando erros em programas de informática

Nesta terça e quarta-feira, a cidade indiana de Nova Déli será sede de uma conferência internacional dos tigres na Ásia, na qual estarão presentes ministros de 13 países.

Um dos objetivos é duplicar a população global de tigres até 2022.

Mas a caça furtiva continua sendo uma grande ameaça para a sobrevivência da espécie, assim como a caça por praticada pelos moradores locais, preocupados com sua própria segurança.

Além disso, o comércio em parques de animais para a chamada "medicina tradicional" move milhões de dólares em todo mundo.

Pode ser que esta seja a primeira vez na história que o número de tigres tenha aumentado, mas a ameaça sobre esses felinos selvagens continua presente.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos