PUBLICIDADE
Topo

Olavo de Carvalho sobre coronavírus: "A endemia simplesmente não existe"

Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo, que publicou aqui o primeiro post no dia 24 de junho de 2006, é colunista da Folha e âncora do programa “O É da Coisa”, na BandNews FM. No UOL, Reinaldo trata principalmente de política; envereda, quando necessário — e frequentemente é necessário —, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.

Colunista do UOL

23/03/2020 06h32

Quando vemos o presidente Jair Bolsonaro e alguns de seus fanáticos a dizer bobagens sobre o coronavírus, é preciso reconhecer: esse pensamento tem uma origem.

No vídeo abaixo, o autointitulado "filósofo e professor" Olavo de Carvalho — também ex-astrólogo e ex-islamista — diz o que pensa sobre o coronavírus.

Com sabedoria peculiar, afirma:
"O número de mortes dessa suposta epidemia não aumentou em nem um único caso o número habitual de mortos por gripe no mundo. Nem um único caso, gente! Essa endemia simplesmente não existe".

Mais adiante, com sabedoria ainda mais peculiar, manda brasa:
"Para confirmar a morte por coronavírus, você precisaria fazer o exame de cada órgão do falecido. Onde fizeram isso? Nunca fizeram nenhum!"

E ele emenda antes de fazer um cara de sábio satisfeito com a própria inteligência:
"É a mais vasta manipulação de opinião pública que já aconteceu na história humana".

Manipulação de quem e para quê?

Ah, deve ser coisa da China, né, para dominar o Ocidente cristão.

A bobagem dita por Olavo é de tal monta que nem errada consegue ser.

Não por acaso, ele acha que certos argumentos dos terraplanistas precisam, sim, ser considerados.

Na próxima passeata, os habitantes do Bolsolavistão já podem levar seus cartazes: "Olavo está certo. A pandemia não existe! É uma invenção".

Como provam os 11 contaminados que o avião de Bolsonaro vomitou em solo pátrio e que, em poucos dias, eram 23, sendo 3 seus ministros.

Reinaldo Azevedo