Topo

UOL Confere

Uma iniciativa do UOL para checagem e esclarecimento de fatos


Corrente liga erroneamente derramamento de óleo a vídeo filmado na Europa

Arte/UOL
Imagem: Arte/UOL

Lucas Borges Teixeira

Colaboração para o UOL, de São Paulo

11/10/2019 10h07

Resumo da notícia

  • Vídeo diz ter encontrado responsável pelo despejo de petróleo
  • Derramamento atingiu 9 estados do Nordeste em outubro
  • Imagens mostram barco expelindo material escuro no mar
  • Gravação, no entanto, é de barco no litoral de Portugal
  • E material expelido é areia, e não petróleo

Um vídeo que circula pelas redes sociais diz ter encontrado o responsável pelo despejo de petróleo nas praias dos nove estados do Nordeste na semana passada. As imagens mostram um grande barco expelindo um material escuro no meio do mar enquanto algumas crianças veem a situação da praia. Ele é filmado como se a câmera estivesse escondida.

"Veja as explicações das manchas na areia da praia!", diz a legenda. Nos comentários, usuários discutem onde ele teria sido filmado e a quem pertenceria a embarcação.
Até o começo da tarde desta quinta (10), o vídeo, publicado um dia antes, já tinha mais de 40 mil visualizações e 3.100 compartilhamentos no Facebook.

FALSO: Vídeo é antigo, não foi filmado no Brasil e não mostra despejo de petróleo

Todas as indicações da corrente estão erradas: a época da filmagem, o local onde ela ocorreu e o que o navio fazia.

Para começar, o navio não está expelindo petróleo ou qualquer substância química no mar. Este é, na verdade, um processo de dragagem: quando se remove uma camada sedimentos do fundo do oceano para alterar a profundidade de um canal de navegação.

"Trata-se de uma embarcação de dragagem, especificamente uma draga autotransportadora de sucção e arrasto chamada Trailing Suction Hopper Dredge", afirma a LF Ambiental, empresa brasileira de soluções ambientais que também oferece este tipo de serviço.

De acordo com a companhia, é provável que o navio estivesse realizando uma operação de manutenção para aumentar a faixa de areia beira-mar. "O material dragado trata-se em grande parte de areia. Ocorre que durante a dragagem as partículas entram em suspensão gerando turbidez na água", explica a companhia ambiental, em resposta ao UOL.

Gravação foi feita na Europa há cinco meses

Além disso, é possível encontrar a mesmo filme em publicações de diferentes países desde o mês de abril deste ano. Ou seja, não é um processo de dragagem feito nem recentemente nem no Brasil, o que descarta qualquer ligação com o petróleo no Nordeste.

Esta página francesa sobre curiosidades, por exemplo, publicou-o no dia 18 de maio.

Com mais de 215 mil visualizações, lá, como aqui, também há reclamações de despejo de poluentes.

De acordo com a LF, esta embarcação foi usada em um processo de dragagem Porto de Leixões, o maior porto de Portugal, localizado no norte do país, próximo à cidade do Porto.

Em uma publicação de um surfista português datado no dia 30 de abril, é possível ver o mesmo barco com as mesmas duas velas brancas ao fundo.

O UOL Confere é uma iniciativa do UOL para combater e esclarecer as notícias falsas na internet. Se você desconfia de uma notícia ou mensagem que recebeu, envie para uolconfere@uol.com.br.

UOL Confere