PUBLICIDADE
Topo

Aqui tem água; veja 10 avenidas que escondem rios em São Paulo

Wellington Ramalhoso

Do UOL, em São Paulo

26/02/2016 06h00

A cidade de São Paulo tem diversas avenidas construídas sobre ou às margens de rios em todas as regiões. As retificações, canalizações e, principalmente, os tamponamentos tiram os cursos de água da paisagem.

Os rios passam a maior parte do tempo esquecidos, apagados dos mapas. Podem ser lembrados em períodos de chuva quando transbordam e provocam estragos.

Que rio passa em seu bairro? Que rios passam por baixo das avenidas de São Paulo? Confira abaixo uma lista de importantes vias da cidade que escondem córregos e ribeirões e veja se você sabe o nome deles.

Que rio passa aqui?

  • Eduardo Anizelli/Folhapress

    Nove de Julho

    Há dois cursos de água sob a avenida Nove de Julho, inaugurada na década de 1940 pelo então prefeito Prestes Maia, nomeado durante a ditadura do Estado Novo. No trecho entre o centro e as proximidades da avenida Paulista, na região central, ela foi construída sobre o rio Saracura, formador do Anhangabaú, afluente do Tamanduateí. Do outro lado da Paulista, já na zona oeste, a avenida encobre o córrego Iguatemi, afluente do rio Pinheiros.

  • Rodrigo Dionisio/Folhapress

    Pacaembu

    Por baixo da avenida Pacaembu, flui o córrego do mesmo nome, afluente do Tietê. As nascentes ficam nos morros localizados no entorno do estádio do Pacaembu, inaugurado em 1940 na região central

  • Marco Ambrósio/Estadão Conteúdo

    Bandeirantes

    Uma das mais movimentadas da cidade, a avenida dos Bandeirantes, na zona sul, passa por cima do córrego da Traição, afluente do rio Pinheiros. A avenida integra o complexo viário que liga às zonas sul e leste

  • Diogo Moreira/Frame/Estadão Conteúdo

    Roberto Marinho

    A avenida Roberto Marinho, na zona sul, acompanha o leito do córrego Água Espraiada. Inaugurada por Paulo Maluf em 1996, a avenida levava o nome do curso d'água. Depois, foi rebatizada. Atualmente, o Metrô constrói sobre a avenida o monotrilho da linha 17-ouro. O projeto prevê que a linha ligará o Jabaquara, na zona sul, ao Morumbi, na zona oeste

  • Rivaldo Gomes/Folhapres

    João Jorge Saad

    A avenida João Jorge Saad, na zona oeste, foi construída sobre o córrego Antonico. Ele passa pela favela Paraisópolis, pelo estádio do Morumbi e depois deságua no Pirajussara, afluente do rio Pinheiros

  • Bruno Poletti/Folhapress

    Eliseu de Almeida

    A avenida Eliseu de Almeida, na zona oeste, encobre o rio Pirajussara. Ele nasce no município de Embu das Artes, passa pelo vizinho Taboão da Serra e, já em São Paulo, deságua no Pinheiros.

  • Marcelo D. Sants/Framephoto

    Anhaia Mello

    A via que homenageia o professor Luiz Inácio de Anhaia Mello, fundador da FAU-USP (Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo), foi construída sobre o rio da Mooca, afluente do rio Tamanduateí. Situada na zona leste, a avenida esconde o rio e agora serve de estrutura para a construção do monotrilho, que deverá ligar a estação Vila Prudente do metrô ao bairro de Cidade Tiradentes. Trata-se da linha 15-prata do Metrô. A obra tem um grande atraso. Um dos motivos é justamente a existência de galerias de água que o projeto inicial não levou em consideração

  • Ale Vianna/Brazil Photo Press/Estadão Conteúdo

    Salim Farah Maluf

    Sob a avenida Salim Farah Maluf, flui o rio Tatuapé, afluente do Tietê. Inicialmente, a avenida construída sobre o leito canalizado se chamava Tatuapé, uma referência ao curso de água. No começo da década de 1980, a via foi estendida e rebatizada para homenagear o pai do então governador Paulo Maluf, nomeado pela ditadura. Situada na zona leste, a avenida separa os bairros do Tatuapé e do Belém, rasga o bairro da Água Rasa e liga a marginal do Tietê ao bairro da Vila Prudente e ao complexo viário que dá acesso à rodovia Anchieta e à zona sul.

  • Johnny De Franco/Sigmapress/Folhapress

    Inajar de Souza

    A avenida Inajar de Souza atravessa a zona norte e acompanha o traçado do córrego Cabuçu de Baixo, afluente do rio Tietê.

  • Rivaldo Gomes/Folhapress

    Edgar Facó

    A avenida Edgar Facó acompanha o traçado do ribeirão Verde. Como todos os principais cursos deágua da zona norte, o Verde é afluente do Tietê. No trecho mais próximo ao rio, o canal do ribeirão é visível.

Cotidiano