Autoridades investigam minas marítimas da 2ª Guerra enterradas em cidade de Alagoas

Carlos Madeiro
Especial para o UOL Notícias
Em Maceió

A descoberta de uma mina marítima da época da 2ª Guerra Mundial com pelo menos 10 kg de explosivos, nesta segunda-feira (11), deixou a população de Maragogi (a 130 km de Maceió) assustada e as autoridades locais em alerta.

Segundo moradores mais antigos da cidade, outras minas já teriam sido vistas por funcionários de obras em décadas passadas e representariam risco à população. A Marinha e a prefeitura anunciaram que vão investigar a mina encontrada e dar início a buscas de outros artefatos na região.

O medo pode ser justificado na força destruidora da bomba encontrada nesta segunda. Após ser descoberta por funcionários da obra de saneamento e requalificação do centro da cidade, a mina foi transportada a um local deserto, à beira-mar, coberta por barricadas de areia e coberta com pequenos explosivos. Em seguida, foi detonada e causou um rastro de destruição. Carros, casas e até mesmo hotéis a quase um 1km do local escolhido para detonação foram atingidos e contabilizaram prejuízos.

“Se essa bomba tivesse explodido no centro da cidade, onde estava, causaria uma enorme tragédia. A bomba estava ativa, como mostrou a explosão, e era um risco iminente à população. Muitas vidas foram salvas”, afirmou o capitão Braga, chefe da equipe antibombas do Bope (Batalhão de Operações Especiais) que foi ao local.

"É crucial que as pessoas fiquem atentas e, em caso da descoberta de novos artefatos, informem imediatamente à polícia", acrescentou.

Em contato com o UOL Notícias, a assessoria de comunicação da Prefeitura de Maragogi confirmou que relatos apontam para a existência de outras possíveis bombas enterradas na cidade, e garantiu que vai investigar a área em busca de outros artefatos. "Já entramos em contato com a Marinha, que garantiu o envio de um rastreador. Vamos vasculhar toda a área para saber se existem realmente mais bombas. Na cidade não se fala em outra coisa", assegurou.

Em nota, a Capitania dos Portos de Alagoas informou à reportagem que "a bomba estava a 15 metros da praia de Maragogi, enterrada a uma profundidade de 1,5 metro". Ainda segundo a Marinha, o caso será investigado. "As fotos colhidas serão encaminhadas à Organização Militar da Marinha especializada, na tentativa de identificar o tipo de artefato e sua origem", explicou.

Moradores com medo e revoltados
A explosão causou destruição em vários empreendimentos. O local mais atingido foi a casa do pescador Manuel dos Santos. “Quebrou tudo na minha casa, da telha à televisão. Isso é lugar de explodir bomba? Em frente à casa dos outros? Estou indignado”, criticou ele, que mora a 500 metros do local escolhido para detonação do artefato.

Segundo relato de funcionários, vidraças do maior resort da cidade ficaram quebradas com a explosão. A reportagem tentou falar por telefone com a gerência do resort, mas ninguém quis comentar o incidente.

A notícia de que mais minas poderiam existir na cidade se espalhou rapidamente e causou medo na população. "Todo mundo está sabendo disso aqui na cidade e, agora, está com medo. A explosão foi ouvida de longe. O chão tremeu", disse o garçom Aloísio dos Santos, que acompanhou desde cedo os trabalhos de remoção do artefato.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos