Topo

Veja frases ditas por Lindemberg Alves durante julgamento

Do UOL, em São Paulo

15/02/2012 21h30

O réu Lindemberg Alves, acusado de matar Eloá Pimentel, após mantê-la como refém por cerca de cem horas em outubro de 2008, deu nesta quarta-feira (15) sua versão do caso pela primeira vez.

Veja algumas frases ditas por ele durante seu depoimento no terceiro dia de julgamento em Santo André (Grande São Paulo).

"Quero pedir perdão para a mãe dela em público"
"Quando a polícia invadiu, a Eloá fez menção de levantar e eu, sem pensar, atirei"
"Estava armado pois dias antes recebi ameaças de morte pelo telefone"
"Quando a polícia chegou, fiquei apavorado. Não sabia o que fazer"
"Eu não tinha confiança na polícia, até pelo que aconteceu naquele ônibus do Rio de Janeiro"
"Puxei a arma para Eloá quando ela começou a gritar comigo, mentindo que ela não tinha ficado com o Victor [Lopes de Campos, amigo de Eloá que estava no apartamento e também foi feito refém]"
"Muita coisa que eu disse [sobre ameaças de morte] foi blefe"
"Havia momentos em que eu, a Eloá e a Nayara não levávamos aquilo a sério. A Eloá chegou a fazer uma sobremesa para nós"
"Comprei o revólver de uma pessoa em um parque. Paguei 700 reais por ela"
"Eu não vim aqui para dar show, para comover ninguém"
"Estou aqui para ser o mais transparente e autêntico possível"
"Eu estava muito nervoso e tomei atitudes impensadas. Atirei para o chão para manter a polícia longe do apartamento"
"Não posso dizer se atirei ou não na Nayara. Eu não me lembro"
"Infelizmente foi uma vida que se foi, mas em alguns momentos levamos aquela situação como se fosse uma brincadeira"

 

Mais Cotidiano